Melhor Transportes

Melhor Transportes



Melhor Transportes



Melhor Transportes



Melhor Transportes



Notícias - Melhor Transportes

RSS Feed - Notícias - Mantenha-se Informado


14/10 - É #FAKE que WhatsApp passará a cobrar R$ 0,37 por envio de mensagens
Boato semelhante circulou na web em meados de julho deste ano. Circula pelas redes sociais um texto que afirma que o WhatsApp vai passar a cobrar R$ 0,37 por cada mensagem enviada no aplicativo. A corrente afirma ainda que é necessário reenviar o texto a três grupos de contatos para que o serviço permaneça gratuito. A mensagem, porém, é #FAKE . Um boato semelhante circulou em meados de julho deste ano. G1 Procurada pelo Fato ou Fake, a assessoria do WhatsApp diz que o texto é falso e nega que passará a cobrar pelo envio de mensagens no aplicativo. "Trata-se de uma mensagem falsa. Mais informações sobre isso e sobre como proceder em caso de mensagens assim, você encontra neste link", afirma, em nota. O serviço pago oferecido é a API do WhatsApp Enterprise, voltado para grandes empresas, com ferramentas para automatizar, classificar e responder rapidamente os clientes. O preço de cada mensagem se baseia em quantas notificações as empresas enviam. Segundo o WhatsApp, as mensagens de notificação enviadas por meio da API são cobradas de acordo com um modelo de diferenciação de preços. No caso do Brasil, os valores variam entre US$ 0,0473 para as primeiras 250 mil mensagens e US$ 0,0263 até o volume ultrapassar 25 milhões de mensagens. Mais informações podem ser acessadas na sessão comercial do Facebook. Veja o que diz a mensagem falsa "Confirmado... Amanhã acabarão as mensagens grátis, e começarão a cobrar por whatsapp a 0.37 centavos. Reenvie este mensagem a mais de 3 grupos , e terá gratuito por toda a vida. Fique atento na bolinha, pois ela irá ficar verde, faça e veja. Já mandei". É #FAKE que WhatsApp passará a cobrar 37 centavos por envio de mensagens Reprodução Vídeo: Veja como identificar uma mensagem falsa VEJA outras checagens feitas pela equipe do FATO ou FAKE Adicione nosso número de WhatsApp: +55 (21) 97305-9827 (após adicionar o número, mande uma saudação para ser inscrito) Initial plugin text
Veja Mais

14/10 - Vendas de minério de ferro da Vale caem 11,8% no 3º trimestre
Comparação é com igual período ano anterior. Frente aos três meses anteriores, vendas subiram 19,5%. Produção da mineradora ainda é afetada por desastre em Brumadinho. Mina do projeto S11D, da Vale, em Canaã dos Carajás (PA) Agência Vale As vendas de minério de ferro da Vale chegaram a 74 milhões de toneladas no terceiro trimestre, queda de 11,8% na comparação anual e alta de 19,5% em relação ao trimestre anterior. Já as vendas de pelotas somaram 11,07 milhões de toneladas, 22,3% abaixo do registrado no mesmo trimestre do ano anterior, mas 25,3% superiores às do segundo trimestre. A produção da mineradora no terceiro trimestre se recuperou na comparação com os três meses anteriores, mas caiu 17,4% na comparação anual. A empresa retoma gradualmente atividades em minas que foram paralisadas após o rompimento de uma de suas barragens em Brumadinho (MG) em janeiro. A mineradora produziu 86,7 milhões de toneladas no terceiro trimestre, avanço de 35,4% frente ao trimestre anterior, com a retomada das operações de Brucutu e o retorno parcial das operações de processamento a seco no Complexo Vargem Grande, anunciados em junho e julho. O desastre em Brumadinho matou cerca de 250 pessoas, além de ter atingido comunidades, mata e rios da região. Devido ao rompimento, a Vale foi levada a interromper diversas atividades em Minas Gerais, em meio a uma revisão dos padrões de segurança de suas operações. Corpo de 250ª vítima do rompimento da Vale é enterrado em Brumadinho "A Vale espera retomar a produção remanescente de aproximadamente 50 milhões de toneladas até o final de 2021, uma vez que diversos marcos foram alcançados e outros estão em andamento", acrescentou a companhia no relatório. A empresa citou como exemplo a aprovação de testes de gatilho na mina para retomar as operações de processamento a seco e a autorização de testes de gatilho no TFA (Terminal Ferroviário de Andaime), "um passo importante para desengargalar a logística do Complexo de Vargem Grande". O resultado no terceiro trimestre superou levemente as expectativas do BTG Pactual, segundo o analista do banco Leonardo Correa, que esperava produção de 85 milhões de toneladas, citando que os dados corroboram sua expectativa de um Ebitda de entre US$ 4,9 bilhões e US$ 5 bilhões para a companhia entre julho e setembro. A produção de pelotas da Vale no terceiro trimestre foi de 11,13 milhões de toneladas, com alta de 22,7% ante o período entre abril e junho e queda de 19,8% na comparação anual. Expectativas A companhia reafirmou sua projeção para as vendas de minério de ferro e pelotas, de entre 307 milhões e 332 milhões de toneladas, "com expectativa de vendas próximas ao centro da faixa". A projeção da Vale para produção de pelotas foi revisada em setembro para 43 milhões de toneladas, de 45 milhões anunciados anteriormente. Enquanto na região Sudeste a Vale enfrenta diversos desafios, ao Norte do país a companhia mostrou forte desempenho operacional no terceiro trimestre, com produção de 55,4 milhões de toneladas de minério de ferro, alta de 33,3% em relação ao trimestre anterior e avanço de 2,7% maior ante um ano antes. Na mina S11D, mais importante produtora de minério de ferro da Vale, no Pará, a empresa bateu o recorde de 20,4 milhões de toneladas, com o desenvolvimento do ativo. A previsão da mineradora é que S11D produza 90 milhões de toneladas em 2020. Outros produtos A produção de níquel da Vale no terceiro trimestre foi de 51,4 mil de toneladas, alta de 14,2% ante o trimestre anterior e queda de 7,7% na comparação anual. Em cobre, a produção somou 98,3 mil toneladas, estável frente ao trimestre anterior e com alta de 4% na comparação com mesmo período do ano anterior. A produção de carvão da empresa foi de 2,35 milhões de toneladas no trimestre, queda de 0,8% frente ao segundo trimestre e com recuo de 26,4% na comparação anual.
Veja Mais

14/10 - Concursos com inscrição aberta no Ceará somam 572 vagas e pagam até R$ 13,1 mil
Concurso nacional do IBGE também ofertas vagas para o Ceará. selo concursos opcao 01 Editoria de arte/G1 Quatro concursos no Ceará ofertam quase 600 vagas e pagam salários que variam de R$ 988 a R$ 13.150. O concurso para o Censo 2020 do IBGE tem 2,6 mil vagas, sendo 127 para o Ceará. As inscrições de todos eles estão abertas. Confira as informações. Prefeitura de Quixeramobim No sertão Central, a Prefeitura de Quixeramobim divulgou edital de concurso público com 400 vagas, sendo 184 para contratação imediata e as demais para o cadastro de reserva. Os salários chegam a R$ 8 mil para as vagas de nível médio, e as inscrições podem ser feitas até 7 de outubro. Confira o edital e leia mais informações. Prefeitura de Banabuiú A Prefeitura de Banabuiú tem o edital com os melhores salários de um concurso com inscrições abertas no Ceará no momento. Os salários podem chegar a R$ 13.150 para os cargos de nível superior. As inscrições podem ser feitas até 25 de outubro, e as provas estão agendadas para novembro. Confira o edital e leia mais informações. Prefeitura de Sobral Em Sobral, na região Norte do Ceará, o concurso público municipal tem 18 vagas para vagas efetivas n Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Econômico (STDE) e no Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE). Os salários variam entre R$ 1,4 mil e R$ 4.160,40. Confira o edital e leia mais informações. UFC A Universidade Federal do Ceará (UFC) anunciou edital para concurso público com 26 vagas, entre níveis médio e superior. Os salários chegam a R$ 4,6 mil e há colocações para os campi de Fortaleza, Crateús, Russas e Quixadá. Confira o edital e leia mais informações. IBGE Os analistas do Censo 2020 receberão salários mensais de R$ 4.200 Licia Rubinstein/Agência IBGE Notícias O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) abriu processo seletivo simplificado para 2.658 vagas de nível médio. São 1.343 vagas para coordenador censitário subárea (nível superior) e 1.315 vagas para agente censitário operacional (nível médio), distribuídas pelas 27 unidades da Federação. Os salários são de R$ 3.100 para coordenador e de R$ 1.700 para agente. Confira o edital e leia mais informações. Concursos em outros estados Em todo o país, pelo menos 180 órgãos de todo o país estão com inscrições abertas para preencher quase 20,5 mil vagas em concursos públicos. Há oportunidades para todos os níveis de escolaridade. Confira todas as oportunidades.
Veja Mais

14/10 - Balança comercial tem superávit de US$ 770 milhões no começo de outubro
No acumulado de 2019, balança registra superávit de US$ 34,38 bilhões. Resultado, entretanto, é 23,4% menor que o verificado no mesmo período de 2018. O Ministério da Economia informou nesta segunda-feira (14) que a balança comercial registrou superávit de US$ 770 milhões na parcial de outubro, até domingo (13). O superávit acontece quando as exportações superam as importações. Quando ocorre o contrário, o há déficit. No período, as exportações somaram US$ 7,552 bilhões (queda de 15,7% contra outubro de 2018) e as importações totalizaram US$ 6,781 bilhões (alta de 2,9% na mesma comparação). Houve queda nas exportações de manufaturados (-18,3%), de semimanufaturados (-13,4%) e de produtos básicos (-13,6%). Nas importações, se destacaram o aumento dos gastos com aeronaves e peças (+42,1%), siderúrgicos (+28,2%), equipamentos mecânicos (+21,6%), equipamentos eletroeletrônicos (+8,8%) e plásticos (+4,2%). Acumulado de 2019 No acumulado deste ano, ainda segundo o governo, a balança comercial registrou um saldo positivo de US$ 34,388 bilhões. Embora o saldo acumulado seja positivo, houve queda de 23,4% na comparação com o mesmo período de 2018, quando o superávit chegou a US$ 44,913 bilhões. De acordo com o governo, no acumulado deste ano, as exportações somaram US$ 174,757 bilhões (queda de 6,9% na comparação com o mesmo período do ano passado). A média diária foi de US$ 882 milhões. As importações somaram US$ 140,370 bilhões, recuo de 1,5% em relação ao mesmo período de 2018. A média diária foi de US$ 708 milhões.
Veja Mais

14/10 - Produção de minério de ferro da Vale cai 17,4% no 3º trimestre com impacto por Brumadinho
Redução é na comparação com o ano anterior; em relação ao segundo trimestre de 2019, houve aumento de 35,4%, com a retomada das operações de Brucutu. A produção de minério de ferro da Vale no terceiro trimestre se recuperou ante os três meses anteriores, mas caiu 17,4% na comparação com ano antes, enquanto a mineradora retoma gradualmente atividades em minas que foram paralisadas após o rompimento de uma de suas barragens em Brumadinho (MG) em janeiro. A mineradora produziu 86,7 milhões de toneladas no terceiro trimestre, avanço de 35,4% frente ao trimestre anterior, com a retomada das operações de Brucutu e o retorno parcial das operações de processamento a seco no Complexo Vargem Grande, anunciados em junho e julho. O desastre em Brumadinho matou cerca de 250 pessoas, além de ter atingido comunidades, mata e rios da região. Devido ao rompimento, a Vale foi levada a interromper diversas atividades em Minas Gerais, em meio a uma revisão dos padrões de segurança de suas operações. Brumadinho: Identificada a 251ª vítima do rompimento da barragem da Vale Bombeiros encontram mais um corpo em Brumadinho Corpo de Bombeiros/Divulgação "A Vale espera retomar a produção remanescente de aproximadamente 50 milhões de toneladas até o final de 2021, uma vez que diversos marcos foram alcançados e outros estão em andamento", acrescentou a companhia no relatório. A empresa citou como exemplo a aprovação de testes de gatilho na mina para retomar as operações de processamento a seco e a autorização de testes de gatilho no TFA (Terminal Ferroviário de Andaime), "um passo importante para desengargalar a logística do Complexo de Vargem Grande". O resultado no terceiro trimestre superou levemente as expectativas do BTG Pactual, segundo o analista do banco Leonardo Correa, que esperava produção de 85 milhões de toneladas, citando que os dados corroboram sua expectativa de um Ebitda de entre U$ 4,9 bilhões e US$ 5 bilhões para a companhia entre julho e setembro. Vale tem prejuízo de R$ 384 milhões no segundo trimestre A produção de pelotas da Vale no terceiro trimestre foi de 11,13 milhões de toneladas, com alta de 22,7% ante o período entre abril e junho e queda de 19,8% na comparação anual. As vendas de minério de ferro no período foram de 74 milhões de toneladas, com queda de 11,8% na comparação anual e alta de 19,5% no trimestre. As vendas de pelotas somaram 11,07 milhões de toneladas, 22,3% abaixo do registrado no mesmo trimestre do ano anterior, mas 25,3% superiores às do segundo trimestre. "Como resultado, as vendas de finos e pelotas de 85,1 milhões de toneladas superaram nossa estimativa de 82,3 milhões toneladas", afirmou o analista de mineração da Scott Schier, da Clarkson Platou, em nota a clientes. "Permanecemos com a classificação de 'neutro', dada a continuidade da incerteza sobre a Vale após o devastador desastre da barragem no fim de janeiro, combinada com a atual falta de retorno aos acionistas." Expectativas A companhia reafirmou sua projeção para as vendas de minério de ferro e pelotas, de entre 307 milhões e 332 milhões de toneladas, "com expectativa de vendas próximas ao centro da faixa". A projeção da Vale para produção de pelotas foi revisada em setembro para 43 milhões de toneladas, de 45 milhões anunciados anteriormente. Enquanto na região Sudeste a Vale enfrenta diversos desafios, ao Norte do país a companhia mostrou forte desempenho operacional no terceiro trimestre, com produção de 55,4 milhões de toneladas de minério de ferro, alta de 33,3% em relação ao trimestre anterior e avanço de 2,7% maior ante um ano antes. Na mina S11D, mais importante produtora de minério de ferro da Vale, no Pará, a empresa bateu o recorde de 20,4 milhões de toneladas, com o desenvolvimento do ativo. A previsão da mineradora é que S11D produza 90 milhões de toneladas em 2020. Outros produtos A produção de níquel da Vale no terceiro trimestre foi de 51,4 mil de toneladas, alta de 14,2% ante o trimestre anterior e queda de 7,7% na comparação anual. Em cobre, a produção somou 98,3 mil toneladas, estável frente ao trimestre anterior e com alta de 4% na comparação com mesmo período do ano anterior. A produção de carvão da empresa foi de 2,35 milhões de toneladas no trimestre, queda de 0,8% frente ao segundo trimestre e com recuo de 26,4% na comparação anual.
Veja Mais

14/10 - Salário mínimo sobe para o equivalente a US$ 15 na Venezuela
Após esse ajuste, o terceiro do ano, a renda mínima mal dá para comprar quatro quilos de carne bovina. O presidente Nicolás Maduro aumentou o salário mínima na Venezuela em 361%, elevando-o ao equivalente a US$ 15 por mês, de acordo com um decreto publicado nesta segunda-feira (14). O salário mínimo passou de 40 mil bolívares (pouco menos de US$ 2) para 150 mil bolívares (US$ 7,6), em meio à inflação projetada pelo FMI em 1.000.000% para 2019. Enquanto isso, o bônus em alimentos que complementa o salário passou de 25 mil bolívares (US$ 1,3) a 150 mil bolívares. Imagem mostra quantos bolívares são necessários para comprar um frango na Venezuela: 14.600.000,00. Carlos Garcia Rawlins/Reuters Após esse ajuste, o terceiro do ano, a renda mínima mal dá para comprar quatro quilos de carne bovina. O presidente socialista ordenou seis aumentos em 2018, que não recuperaram o poder de compra necessário. Os venezuelanos sofrem a pior crise de sua história contemporânea, com uma economia reduzida pela metade em cinco anos. Maduro culpa uma bateria de sanções americanas que incluem um embargo de petróleo, uma fonte de 96% da receita do país, cuja produção caiu em setembro abaixo de 800 mil barris por dia, em comparação com os 3,2 milhões no ano anterior década. A oposição, entretanto, atribui o colapso a altos gastos públicos e corrupção registados durante o maior boom do petróleo da Venezuela, no período de 2004 a 2014.
Veja Mais

14/10 - Google Pay agora permite usar débito para compras on-line
Função nova do Google tornará possível comprar em lojas parceiras sem a necessidade de ter cartão de crédito ou pagar por boleto. Escritório do Google em São Paulo. Thiago Lavado/G1 O Google anunciou nesta segunda-feira (14) que está expandindo os cartões que são aceitos no aplicativo de pagamentos Google Pay. A partir de hoje, o usuário poderá escolher, no momento do pagamento de uma compra on-line, se quer pagar no débito ou no crédito. Com essa opção, é possível comprar na internet sem ter que pagar com boletos ou cartões de crédito. A novidade vale para sites e aplicativos que aceitam o Google Pay como forma de pagamento e para cartões que têm uma ou ambas funções — crédito e débito. Neste início de projeto, o número de parceiros ainda é limitado, mas o Google aposta em um processo de adesão simples para atrair mais lojas e aplicativos. Antes do anúncio, era possível usar cartão de débito para pagar com o Google Pay, mas somente na forma de pagamento sem contato em uma loja física, com a aproximação do celular que conta com um chip NFC. De acordo com João Felix, líder de operações do Google Pay na América Latina, o Brasil é um mercado prioritário para o Google, que vê no país parte da estratégia de alcançar o próximo 1 bilhão de usuários. Dados apresentados por Felix mostram que das 110 milhões de pessoas que têm conta bancária no Brasil, apenas 50 milhões têm acesso a cartão múltiplo, com funções débito e crédito. Os outros 60 milhões de bancarizados contam apenas com cartão de débito. "É uma solução focada nessas pessoas, para simplificar a experiência de compra no débito", disse. A Apple já permitia o pagamento com débito no Apple Pay, para compras em aplicativos e no navegador Safari. A função também depende de bancos, operadoras de cartões e parceiros. Google agora pergunta "crédito ou débito?" durante as compras na internet. Divulgação/Google Segurança no pagamento Segundo a empresa, o índice de fraudes nesse tipo de operação é significativamente menor. Porque a transação é intermediada pelo Google Pay e o número de cartão não é compartilhado com a loja que recebe o pagamento. "Enviamos um número de conta virtual para representar as informações da sua conta, e assim, os detalhes ficam seguros", explica Felix. O pagamento usa a senha do celular ou autenticação biométrica e não precisa da senha do cartão. A segurança é feita por uma etapa única de autorização junto ao banco, que guarda uma validação de identidade no celular para substituir a senha da conta nas próximas utilizações e funciona apenas com o aparelho cadastrado na conta Google. Vale para a Black Friday Varejistas on-line que quiserem instalar a funcionalidade em seus sites podem disponibilizar a função para clientes ainda antes da Black Friday, que acontece no final de novembro. "Além de ser tecnicamente simples, não precisa de contrato e não tem custo", disse Felix. De acordo com ele, as pessoas que não contam com cartão de crédito, acabam pagando com boletos bancários quando precisam comprar algo na internet. Mas isso é um problema para lojistas, que acabam reservando produtos para boletos que não são pagos. Com isso, essas compras nunca são entregues e geram encalhe. Na Black Friday do ano passado, 50% dos boletos não foram pagos, segundo dados apresentados pelo Google.
Veja Mais

14/10 - Natal de 2019 deve ter maior contratação de temporários em 6 anos, estima CNC
Segundo Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, serão contratados 91 mil neste fim de ano para atender ao aumento sazonal das vendas, alta de 4% em relação ao ano passado. Oferta de vagas de trabalho temporário para Natal deve ser a maior dos últimos anos A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estima que a oferta de vagas temporárias para o Natal de 2019 será a maior em 6 anos. Segundo projeção da entidade, serão contratados 91 mil trabalhadores temporários neste fim de ano para atender ao aumento sazonal das vendas. O número é 4% maior do que o registrado em 2018 (87,5 mil). O Natal é a principal data comemorativa do varejo e deve movimentar R$ 35,9 bilhões em 2019. Devem contribuir para a retomada parcial do nível de atividade do setor: a inflação baixa, os juros básicos no piso histórico, os prazos mais amplos para a quitação de financiamentos, mas “principalmente, a liberação de recursos extraordinários para o consumo, como os saques no FGTS e no PIS/Pasep”, afirma José Roberto Tadros, presidente da CNC. Com FGTS e juros baixos, varejo deve ter alívio no fim do ano Regionalmente, São Paulo (22,6 mil), Minas Gerais (10 mil), Rio de Janeiro (9,4 mil) e Rio Grande do Sul (7,6 mil) concentrarão mais da metade (54%) da oferta de vagas. De acordo com o estudo da CNC, os maiores volumes de contratações deverão ocorrer nos ramos de vestuário (62,5 mil vagas) e de hiper e supermercados (12,8 mil). “Entre os segmentos do varejo, as lojas de vestuário, acessórios e calçados são, historicamente, as mais afetadas positivamente pelas vendas natalinas”, lembra o economista Fabio Bentes, da CNC. “Enquanto o faturamento do varejo cresce em média 34% na passagem de novembro para dezembro, no segmento de vestuário esse percentual costuma subir 90%.” Neste ano, o levantamento realizado pela CNC traz também um recorte de profissões, que mostra que oito em cada dez vagas ofertadas deverão ser preenchidas por vendedores (57 mil), operadores de caixa (13 mil) e pessoal de almoxarifado (4,6 mil). Os maiores salários médios deverão ser pagos aos contratados para os cargos de gerente de marketing e vendas (R$ 2.724) e gerentes de operações comerciais (R$ 2.020). A taxa de efetivação dos trabalhadores temporários deverá ser maior do que nos últimos cinco anos, com expectativa de absorção definitiva de 26,1%. De acordo com Bentes, entretanto, “a ainda lenta recuperação da economia e do consumo desde o fim da recessão deverá impedir que o varejo apresente taxas de efetivação superiores a 30%, como costumava ocorrer até 2014".
Veja Mais

14/10 - 5G e novo mercado de gás podem entrar no PPI em novembro, diz secretária
Próxima reunião do programa de privatizações e concessões do governo federal para avaliar projetos em andamento e eventual inclusão de novos está prevista para novembro. Secretária especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Martha Seillier Valter Campanato/Agência Brasil Os leilões de frequências de telefonia celular de quinta geração (5G) e o de concessões no chamado Novo Mercado de Gás podem entrar na carteira de projetos do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) já em novembro, disse a secretária especial da entidade, Martha Seillier. "Após as concessões ligadas a exploração de petróleo, esses devem ser os projetos que mais devem atrair o interesse de investidores internacionais no Brasil", disse Martha em entrevista à Reuters. Avaliado por especialistas do mercado com potencial para ser um dos maiores do mundo do setor, o leilão de 5G era esperado inicialmente pelo Ministério das Comunicações para acontecer até março próximo, mas a pasta já fala que a perspectiva é de que o leilão aconteça na segunda metade de 2020. Em relação ao mercado de gás, a participação do PPI seria a de estruturar a quebra do monopólio da Petrobras em gás natural, trazendo mais competidores e permitindo o que o ministro da Economia, Paulo Guedes, tem chamado como "choque de energia barata no país". MAPA DAS PRIVATIZAÇÕES: VEJA A LISTA COMPLETA DE PROJETOS JÁ ANUNCIADOS Expectativa é que vendas de estatais aconteçam já em 2020, diz secretária do PPI A próxima reunião do PPI para avaliar projetos em andamento e eventual inclusão de novos está prevista para novembro e pode marcar também a inclusão dos primeiros chamados projetos sociais, como de hospitais, creches, presídios e obras de mobilidade urbana. Modelo similar deve ser usado para estruturar a venda de empresas estaduais e municipais de saneamento básico. "Neste caso, o PPI ajudaria a estruturar projetos municipais e estaduais e reunidos em blocos para PPPs (parcerias público-privadas) ou leilões", disse Martha, que viaja a Londres nos próximos dias para conhecer mais de perto a experiência britânica com a concessão destes tipos de projetos. A reunião do PPI em novembro também pode selar o calendário para desestatização das primeiras estatais federais durante o governo de Jair Bolsonaro. Dentre as companhias com venda prevista para acontecer em 2020 estão a empresa de semicondutores Ceitec, as companhias de entrepostos Ceagesp e Ceasaminas, a administradora de contratos do extinto Sistema Financeiro da Habitação, Emgea, e a Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores (ABGF). Ligado à Casa Civil, o PPI coordena as iniciativas do governo federal para atração de investimentos de longo prazo e deve liderar a arrecadação de cerca de R$ 150 bilhões em outorgas em 2019. Infraestrutura De acordo com Martha, em 2020 devem acontecer também os primeiros leilões de concessão de infraestrutura com ajustes para aumentar a atratividade para investidores estrangeiros, como a adoção de um mecanismo de hedge cambial. Além disso, o governo trabalha em ajustes no marco regulatório das debêntures incentivadas de infraestrutura, tentando elevar o prazo máximo dos papéis, dos atuais 24 meses para 60 meses, e permitir a aquisição dos títulos por empresas, não apenas por investidores pessoa física. Por fim, o governo propõe eliminar o IR sobre os ganhos para estrangeiros. As iniciativas vão na direção de tentar atrair maior número de interessados para leilões de ativos como rodovias, portos, aeroportos e ferrovias. Diferente das licitações ligadas a petróleo e energia, que têm atraído grande número de interessados de vários países, os ativos de infraestrutura logística tiveram poucos participantes estrangeiros. Na sexta-feira, durante o evento Brazil Investment Forum, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, salientou esse problema, após a mudança de modelo de licitações no setor, que aposentou o sistema no qual o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) oferecia juros subsidiados. Martha, no entanto, disse que o uso de incentivos fiscais para atrair mais investidores está fora de questão. Trem de alta velocidade Um projeto fora da lista, mas que poderia fazer parte dos que serão tocados pelo PPI é do trem de alta velocidade ligando Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro, disse ela. "Não é prioridade do governo neste momento, mas fomos perguntados recentemente sobre o assunto. Num sistema de autorização, poderia acontecer", afirmou Martha. Idealizado no começo da década durante o governos petistas, o chamado trem-bala teve os planos abandonados. Num sistema de autorização, o investidor tocaria todo o projeto desde a construção, mas poderia operá-lo por prazo indefinido. Mas isso dependeria de aprovação legislativa.
Veja Mais

14/10 - Itaú vê Selic a 4,5% no fim de 2019 e a 4% em 2020 e melhora previsão para o PIB
Banco espera 2 cortes de 0,5 ponto porcentual neste ano e mais dois de 0,25 ponto no próximo. Projeção para avanço da atividade em 2019 passa de 0,8% para 1%. Itaú anuncia plataforma de pagamento e transferências digitais da empresa Nacho Doce/Reuters O Itaú revisou para baixo suas projeções para a taxa básica de juros. O banco agora espera que o Banco Central (BC) faça dois cortes de 0,5 ponto porcentual na Selic neste ano, e mais dois de 0,25 ponto em 2020, fazendo com que a taxa chegue a 4% no fim de 2020. O câmbio menos volátil, o crescimento baixo e, em especial, a inflação bem ancorada abrem espaço para flexibilização monetária adicional, aponta o banco. Copom reduz taxa básica de juros de 6% para 5,5% ao ano "Passamos a esperar que o Comitê de Política Monetária (Copom) estenda o ciclo de corte de juros para além do nível de 5%. Em adição ao corte de 0,50 ponto projetado para a reunião dos dias 29 e 30 de outubro, acreditamos que o comitê realizará mais um movimento de mesma magnitude em dezembro, seguido por dois cortes de 0,25 ponto em fevereiro e março de 2020”, afirmam os economistas do banco em relatório. Para o Itaú, os fatores de risco para a inflação tiveram poucas mudanças nas últimas semanas, enquanto as leituras recentes do IPCA "seguiram bem comportadas, mais baixas que o esperado". Os economistas apontam, também, que os indicadores de atividade começaram a ensaiar recuperação mais consistente, mas notam que, diante da capacidade ociosa elevada, "melhoras nesse fronte ainda não representam risco relevante de pressão inflacionária no horizonte relevante de política monetária". Na avaliação do banco, dada a queda do juro real neutro, "é necessário estímulo monetário adicional para que a economia passe a ter uma recuperação mais robusta". Além disso, o Itaú diz não ver risco de inflação de demanda nos próximos anos, mesmo se a atividade retomar um ritmo acima do esperado. "Dessa forma, à medida que as incertezas globais sejam reduzidas e a volatilidade do real diminua, haverá espaço para que os juros domésticos sejam reduzidos sem por em risco o controle da inflação." Os economistas pontuam, ainda, que a queda adicional dos juros deve limitar a apreciação do real. O Itaú revisou suas projeções para a taxa de câmbio. Agora, os economistas do banco esperam o dólar a R$ 3,90 neste ano (ante R$ 3,80 antes), enquanto a projeção para a moeda americana em 2020 passou de R$ 4,00 para R$ 4,25. PIB revisto para cima A melhora nos números do terceiro trimestre, sobretudo relativos ao consumo, levou o Itaú Unibanco a revisar também sua projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, de 0,8% para 1%. Para o período de julho a setembro, o banco projeta uma alta de 0,5% ante os três meses imediatamente anteriores, feito o ajuste sazonal. Estimativas preliminares do Itaú para o terceiro trimestre chegaram a apontar PIB negativo, mas agora o banco estima que o consumo, por exemplo, crescerá 0,8%. Para o último trimestre do ano, o banco prevê crescimento do PIB de 0,7%, impulsionado por uma aceleração do consumo a partir dos saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). "A melhora dos dados de atividade é boa notícia, mas ainda é cedo para afirmar que o crescimento já esteja se acelerando de forma consistente", diz o Itaú em relatório. Segundo o banco, sua métrica de crescimento subjacente segue próxima de 1% em termos anualizados (1,1% em agosto), o mesmo ritmo dos últimos dois anos, sem tendência de aceleração. A medida de crescimento subjacente é construída pelo Itaú a partir números para criação de emprego formal (Caged), crédito, confiança do empresário (FGV) e difusão (percentual de dados em expansão utilizando as aberturas da produção industrial, vendas no varejo, receita do setor de serviços e Caged). O Itaú destaca que o investimento ainda continua em tendência de crescimento lento. "Os dados mais recentes corroboram esse cenário, com a produção de bens de capital e insumos da construção civil recuando em agosto", afirma. O banco projeta uma contração de 0,2% do investimento no terceiro trimestre. Para o PIB de 2020, a estimativa foi de alta de 1,7% para 2,2%, "devido à expectativa de estímulo monetário adicional", diz o Itaú. Ou seja: a revisão para a atividade leva em conta a nova expectativa do banco para a Selic. De acordo com a instituição, seus modelos indicam que, para cada 1 ponto percentual de queda na taxa de juros real, o crescimento trimestral anualizado do PIB também aumenta em cerca de 1 p.p. "Na nossa visão, a política monetária tem efeito maior na atividade hoje do que no passado, devido à redução da relevância do crédito subsidiado". O Itaú também revisou suas projeções de taxa de desemprego. Para este ano, a estimativa subiu de 11,8% para 11,9% ao incorporar, segundo o banco, "os últimos dados apontando uma taxa de desemprego um pouco acima do esperado". Ao final de 2020, a previsão caiu de 11,6% para 11,5%, com a expectativa de um crescimento do PIB mais elevado no próximo ano.
Veja Mais

14/10 - Comida ou livro didático? Vacinação com ou sem brinde? Conheça experiências dos ganhadores do Nobel de Economia
Trio de economistas foi premiado por pesquisas que ajudam combate à pobreza. Abhijit Banerjee, Esther Duflo e Michael Kremer ganham Nobel de Economia 2019 Twitter/The Nobel Prize Os três ganhadores do prêmio Nobel de Economia deste ano, Abhijit Banarjee, Esther Duflo e Michael Kremer, são conhecidos por fazer experimentos de campo. Os pesquisadores são ligados a um laboratório que estuda os efeitos da pobreza extrema e busca entender quais as melhores formas de evitá-los, principalmente os que são relacionados a educação e saúde. Trio ganha Nobel de Economia 2019 por pesquisas que ajudam combate à pobreza Esther Duflo, de 46 anos, é a mais jovem a ganhar Nobel de Economia O trio foi premiado "por sua abordagem experimental para aliviar a pobreza global", afirmou o júri. "As descobertas das pesquisas dos premiados –e as dos pesquisadores que seguem os passos deles– melhoraram drasticamente nossa capacidade de combater a pobreza na prática", acrescentou em comunicado a Academia Real de Ciências da Suécia. Segundo o júri, os estudos e novas abordagens desenvolvidas pelo trio permitiram, por exemplo, ações mais eficazes para melhorar a saúde infantil e o desempenho escolar. Trio é premiado com o Nobel de economia por aliviar pobreza no mundo Banerjee e Duflo são casados e dão aulas no Massachusetts Institute of Technology (MIT) e tornaram-se cidadãos americanos. Michael Kremer Kremer é professor na Universidade de Harvard. Um laboratório farmacêutico, por exemplo, faz uma série de experimentos em pacientes com grupos de controle para saber se um novo remédio é estatisticamente eficiente. Os experimentos feitos pelos ganhadores do Nobel de Economia de 2019 têm semelhanças com esse processo. Com parcerias com ONGs e governos locais, eles implementam mudanças econômicas só para uma parte de uma população. A escolha de quem será submetido a um experimento e quem será o grupo controle é aleatória. Em outras ocasiões, eles usaram dados de um programa de desenvolvimento e comparam o que aconteceu – é o caso do microcrédito. Conheça abaixo alguns dos experimentos que Banarjee, Duflo e Kremer executaram e alguns dos conceitos de desenvolvimento econômico por trás deles. Livros didáticos versus comida no Quênia Em áreas pobres, as escolas têm múltiplos problemas. Por exemplo, há falta de livros didáticos, e uma parte das crianças frequenta as aulas sem comer. Qual seria a forma de melhorar o desempenho acadêmico: dar comida ou livro didático? Durante os anos 1990, Kremer e os seus colegas fizeram um experimento em regiões rurais do Quênia. As escolas tiveram acesso a recursos, mas em momentos diferentes e de naturezas diferentes: uma parte recebeu livros, e a outra, refeições. Os livros didáticos só tiveram efeitos para os melhores alunos. As refeições não alteraram o aprendizado. Professores auxiliares só para os piores alunos Mais tarde, outros experimentos de campo mostraram que a ajuda direcionada aos alunos mais fracos é uma medida eficaz para lidar com a falta recursos para educação nos países de baixa renda e adaptar o ensino às necessidades reais dos alunos. Os três economistas dividiram escolas da Índia em dois grupos: uma parte delas recebeu auxiliares de professores para atender crianças que tinham necessidades específicas de ensino, e a outra, não. O experimento mostrou que é no auxílio aos estudantes mais fracos que há os melhores efeitos para a curva de aprendizado nos prazos curto e médio. Vacinação com ou sem brinde Imagem de seringa e uma ampola de seringa sendo manipulados Reprodução/Rede Amazônica Se um grupo de pessoas tiver uma cobertura de vacina menor, terá uma desvantagem econômica, porque vai trabalhar menos, terá mais problemas de saúde etc. Só que, na Índia, os funcionários de clínicas de vacinação faltam muito ao trabalho. Os economistas fizeram uma experiência com um centro móvel de profissionais de saúde, que ia até as vilas. A cobertura da vacinação aumentou de 6% para 18%. Em algumas áreas, eles davam um saco de lentilhas para as famílias que vacinassem seus filhos. A taxa entre esse grupo subiu para 39%. O gasto para aplicar cada vacina caiu pela metade nesse cenário –a clínica tem altos custos fixos (ou seja, são os mesmos para a aplicação de uma única vacina ou milhares), e, mesmo com a distribuição de comida, o desembolso por aplicação caiu. Remédio barato versus remédio gratuito Os pesquisadores mostraram também que as pessoas mais pobres são extremamente sensíveis a preços e gratuidade nos cuidados de saúde preventivos. Um estudo conduzido por Kremer na Índia mostrou que se uma pílula para combater vermes for gratuita, 75% dos pais vão usá-la em seus filhos. Se ela custar menos de US$ 1 (ou seja, ainda com preço subsidiado), essa porcentagem cai para 18%. Fertilizantes na lavoura e a dificuldade de tomar decisões Na África subsaariana, pequenos fazendeiros não adotam inovações tecnológicas simples que teriam o potencial de os beneficiar. Por exemplo, se eles adotassem fertilizantes químicos, teriam safras maiores. Nesse caso, a experiência dos economistas foi comparar dois grupos: um que recebeu subsídios temporários para comprar fertilizantes, e outro que os tinha de forma permanente. Quem mais usou o produto químico foram aqueles que tinham o benefício somente durante um período. Esse experimento mostra, na prática, o efeito de um conceito de racionalidade limitada. Os problemas mais urgentes de um pequeno produtor rural são aqueles nos quais ele vai se debruçar mais. Pessoas em extrema pobreza priorizam as dificuldades que não podem ser adiadas, e isso deve ser levado em conta ao formular políticas públicas. Microcrédito na Índia Programas de microcrédito são comuns e renderam até um Nobel da Paz a Muhammad Yunus, em 2006. No entanto, não havia muita evidência de que dar acesso às pessoas em extrema pobreza tem um efeito significativo no desenvolvimento. Os ganhadores do Nobel não iniciaram um experimento deles, mas avaliaram uma iniciativa que era executada na cidade de Hyderabad, na Índia. Por ela, havia algumas mulheres que poderiam acessar o crédito direcionado, e outras, não. Cerca de um quarto das famílias que preenchiam os requisitos para ter acesso a microcrédito de fato pegavam dinheiro emprestado. Segundo os pesquisadores, há um efeito de substituição de maneiras informais de obter crédito. Além disso, no geral, não há um aumento significativo do volume de recursos emprestados. A evidência sugere que não há uma demanda especialmente alta para microcrédito. E itens que indicam desenvolvimento, como saúde, educação dos filhos e tipo de consumo, não se alteraram significativamente entre as pessoas atingidas pelo programa de crédito direcionado. As mulheres que tiveram acesso a microcrédito não abriram mais negócios. No entanto, se elas já tivessem uma pequena empresa, investiam mais nessas. Eles estudaram o tema na Bósnia-Herzegovina, Etiópia, Marrocos, México e Mongólia. As conclusões foram semelhantes. Como política de desenvolvimento, os economistas concluíram que um programa de microcrédito não tem efeitos nem em 18 meses e nem em 36 meses. Dividir a solução do problema O que os experimentos mostram, de acordo com o comitê, é que o problema da pobreza pode ser resolvidos sendo dividido em perguntas menores e mais precisas, nos níveis individual ou de grupo, e usando um experimento de campo especialmente projetado para cada questão. “Em apenas 20 anos, essa abordagem reformulou completamente a pesquisa no campo conhecido como economia do desenvolvimento", afirmou, em nota, o comitê do Nobel. "Como resultado direto de um de seus estudos, mais de 5 milhões de crianças indianas se beneficiaram de programas eficazes de aulas de reforço nas escolas. Outro exemplo são os pesados ​​subsídios para cuidados de saúde preventivos que foram introduzidos em muitos países", afirmou o comitê do Nobel, destacando ainda que as pesquisas "têm um grande potencial para melhorar ainda mais a vida das pessoas em pior situação do mundo". Quem são os premiados Selfie enviada ao Nobel por Esther Duflo, a segunda mulher e a pessoa mais jovem a receber o Nobel de Economia. Twitter/The Nobel Prize Abhijit Banerjee Nasceu em 1961 em Mumbai, na Índia. Em 1988, ele conseguiu o título de Ph.D. pela Universidade de Harvard, em Cambridge, nos Estados Unidos. Ele é professor de Economia da Ford Foundation no Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos EUA. Esther Duflo Nasceu em 1972 em Paris, na França. Ela obteve o título de Ph.D. em 1999 do Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos EUA. É a segunda mulher e a pessoa mais jovem a receber o Nobel de Economia. Nos últimos anos, firmou-se como uma duas economistas mais brilhantes de sua geração, ganhando prêmios como a medalha John Bates Clark em 2010, que recompensa os trabalhos de economistas nos Estados Unidos com menos de 40 anos. Michael Kremer Nasceu nos EUA, em 1964. Obteve o título de Ph.D em 1992 na Universidade de Harvard, nos EUA. É professor de Sociedades em Desenvolvimento na Universidade de Harvard, nos EUA. Os 3 economistas compartilharão o prêmio de 9 milhões de coroas suecas, ou US$ 1 milhão (R$ 3,85 milhões). A cerimônia de entrega do Nobel acontecerá em 10 de dezembro, data de aniversário da morte de seu idealizador, o industrial e filantropo sueco Alfred Nobel (1833-1896). O prêmio de Economia, oficialmente chamado de "Prêmio do Banco da Suécia em Ciências Econômicas em memória de Alfred Nobel", foi criado em 1968. A homenagem não fazia parte do grupo original de cinco prêmios estabelecidos pelo testamento do industrialista sueco Alfred Nobel, criador da dinamite. Os outros prêmios Nobel (Medicina, Física, Química, Literatura e Paz) foram entregues pela primeira vez em 1901. O Nobel de Economia é o último concedido este ano. Os prêmios de Medicina, Física, Química, Literatura e Paz foram anunciados na semana passada.
Veja Mais

14/10 - Prorrogadas inscrições na seleção para Prefeitura de Riacho dos Cavalos, PB
São 65 vagas temporárias com salários de até R$ 13,2 mil. Seleção de Riacho dos Cavalos tem 65 vagas nas áreas de saúde, educação e assistência social Divulgação Foram prorrogadas para até domingo (20) as inscrições no processo seletivo para a Prefeitura de Riacho dos Cavalos, no Sertão paraibano, que oferece 65 vagas de emprego temporárias em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários variam de R$ 998 a R$ 13,3 mil. Veja o edital da seleção para a prefeitura de Riacho dos Cavalos No total, são oferecidas 13 vagas para a área de saúde, 22 para a área de educação, 17 para a área de assistência social, quatro para o NASF e nove para o CAPS. O cargo com mais vagas é o de professor do EJA, com 20 oportunidades, sendo 10 para a zona urbana e 10 para a zona rural. Já os cargos com maiores salários são os de médico psiquiatra e médico clínico geral PSF. Além destes cargos, há vagas para agente comunitário de saúde, agende de endemias, atendente de consultório dentário, auxiliar de serviços gerais, dentista, enfermeiro, técnico em enfermagem, monitor de música, assistente social, digitador do bolsa família, visitador Criança Feliz, supervisor Criança Feliz, orientador social, regente de banda marcial, instrutor de dança e recreação, instrutor de esporte, instrutor de artesanato, psicólogo, assistente social, educador físico, fisioterapeuta, nutricionista, assistente social, auxiliar de serviços, cozinheiro e recepcionista. As inscrições devem ser feitas exclusivamente pela internet, no site da organizadora. A taxa de inscrição custa R$ 60 para cargos de nível fundamental, R$ 70 para cargos de nível médio e R$ 80 para cargos de nível superior. As inscrições devem ser feitas presencialmente na Secretaria de Finanças e Planejamento de Nazarezinho, localizada à Rua Antônio Vieira, 1, no Centro. O horário de atendimento é das 7h30 às 11h30 e das 13h às 16h. As provas estão previstas para acontecer no dia 17 de novembro. Seleção da Prefeitura de Riacho dos Cavalos Vagas: 65 Níveis: fundamental, médio e superior Salários: R$ 998 a R$ 13,3 mil Prazo de inscrição: até domingo (20) Local de inscrição: site da organizadora, Ápice Consultoria Taxas de inscrição: R$ 60 (fundamental), R$ 70 (médio/técnico) e R$ 80 (superior) Provas: 17 de novembro Edital da seleção da Prefeitura de Riacho dos Cavalos
Veja Mais

14/10 - A briga entre EUA e Europa por trás de polêmica sobre Brasil na OCDE
A candidatura do Brasil se encontra em meio a uma disputa entre americanos, que defendem a expansão da OCDE "em ritmo moderado", e europeus, que querem discutir todas as seis candidaturas, uma forma de garantir que haja contrapartida da escolha de um país do bloco para cada candidato não europeu selecionado. Apesar da ausência do Brasil em carta americana na OCDE, Trump reiterou apoio à entrada brasileira na entidade Getty Images Por trás das polêmicas nas redes sociais sobre o apoio dos Estados Unidos à entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), há uma queda de braço entre americanos e europeus que se arrasta há meses sobre como deve ser o processo de ampliação da entidade, que envolve atualmente seis países. Daí o impasse em relação à candidatura brasileira. A polêmica sobre o apoio ao Brasil surgiu na quinta-feira, após a agência Bloomberg ter revelado que o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, em uma carta enviada ao secretário-geral da OCDE, Angel Gurría, em 28 de agosto, afirmou que seu país apoia apenas as candidaturas da Argentina e da Romênia. Segundo a Bloomberg, Pompeo rejeitou o pedido para discutir uma nova ampliação da OCDE. "Os EUA continuam a preferir a ampliação a um ritmo contido que leve em conta a necessidade de pressionar por planos de governança e sucessão", dizia a carta enviada por Pompeo à OCDE. A publicação de reportagens, análises e textos opinativos na mídia brasileira afirmando que os Estados Unidos negaram apoio ao ingresso do Brasil na OCDE, apesar da promessa feita pelo presidente Donald Trump em março, levaram as autoridades americanas a reagir rapidamente e reiterar que endossam a candidatura brasileira à organização com sede em Paris. "A declaração conjunta divulgada com o presidente Bolsonaro em março deixa absolutamente claro que apoio o Brasil no início do processo de adesão plena à OCDE. Os Estados Unidos defendem essa declaração e defendem Jair Bolsonaro. Este artigo é notícia falsa!", escreveu Trump no Twitter em relação ao texto da Bloomberg. O secretário de Estado americano também publicou um tuíte afirmando que "os Estados Unidos são apoiadores entusiastas do ingresso do Brasil nessa importante instituição" e acrescentou que seu país fará "um forte esforço" para apoiar a entrada. Recuo americano ou movimento esperado? Nas redes sociais, houve discussões sobre o suposto recuo da posição americana e o possível revés sofrido pelo governo brasileiro, que ofereceu contrapartidas durante a viagem de Bolsonaro aos EUA em março. Também não faltaram memes ironizando a situação. Uma das medidas adotadas pelo Brasil foi abrir mão do status de nação em desenvolvimento na Organização Mundial do Comércio (OMC), que garante benefícios como regras mais flexíveis. Especialistas citam também outras medidas, como a concessão aos EUA da exploração da base espacial de Alcântara, no Maranhão, e a isenção de vistos para turistas do país sem reciprocidade para brasileiros. Os defensores da iniciativa brasileira argumentam que a adesão à OCDE pode favorecer investimentos internacionais e as exportações, aumentar a confiança dos investidores e das empresas e ainda melhorar a imagem do país no exterior, favorecendo o diálogo com economias desenvolvidas. A OCDE, atualmente com 36 países, é um fórum internacional que promove políticas públicas, realiza estudos e auxilia no desenvolvimento de seus membros, fomentando ações voltadas para a estabilidade financeira e para fortalecer a economia global. Apesar das novas mensagens de pleno apoio de autoridades americanas à entrada do Brasil na OCDE, na prática os Estados Unidos não estão dispostos, pelo menos no momento, a mudar sua posição em relação à ampliação da organização, que reúne 36 países. Mesmo que isso dificulte o lançamento da candidatura do Brasil, que continua sem prazo previsto. Atualmente, seis países solicitaram adesão à OCDE, conhecida como "clube dos ricos": Argentina, Romênia, Brasil, Peru, Bulgária e Croácia. A candidatura do Brasil se encontra em meio a uma disputa entre americanos, que defendem a expansão da OCDE "em ritmo moderado", e europeus, que querem discutir todas as seis candidaturas, uma forma de garantir que haja a contrapartida da escolha de um país do bloco para cada candidato não europeu selecionado. Segundo um diplomata, ouvido sob condição de anonimato, o Brasil se encontra em uma situação "curiosa": o país tem o apoio de todos os membros da organização, mas o processo não avança porque não se consegue chegar a uma decisão sobre todas as candidaturas. Os Estados Unidos, diz ele, têm questionado até que ponto a expansão da OCDE deve ser feita. Na visão americana, uma organização muito ampla dificultaria a tomada de decisões. A prioridade para os EUA não é expandir a OCDE, mas sim discutir qual caminho a entidade deve tomar, como indica a nota da embaixada americana no Brasil, divulgado após a reportagem da Bloomberg, que retoma o teor da carta enviada por Pompeo. O comunicado menciona o apoio a uma expansão "a um ritmo controlado que leve em conta a necessidade de pressionar as reformas de governança e o planejamento da sucessão" na organização. De acordo com fontes ouvidas pela BBC News Brasil, os Estados Unidos chegaram a propor a realização de uma avaliação externa da OCDE, que não teria ocorrido justamente por falta de consenso em relação ao escopo dessa análise. Um europeu para cada não europeu Os Estados Unidos, afirma um diplomata, também rejeitam a ideia de um paralelismo na ampliação da OCDE, defendida pelos europeus, ou seja, quando um país não europeu ingressa na organização, um europeu também deve entrar, como vem ocorrendo nas últimas adesões. Desde 2010, seis novos países entraram na organização: Chile, Israel, Estônia, Eslovênia, Letônia e Lituânia. Os próximos membros serão a Colômbia, cuja adesão, já aprovada, é iminente, e a Costa Rica, que iniciou as discussões em 2015. Com esses dois futuros novos membros, serão quatro europeus e quatro não europeus. Esse processo passou a ser adotado após a entrada, de uma só vez, de dez países na União Europeia, em 2004. Na época, os europeus queriam que todos os novos países do bloco se tornassem membros da OCDE, o que gerou críticas por parte de não europeus, que alegaram já ter muitos países do continente na organização. O Brasil solicitou a adesão à OCDE em 2017. A Argentina fez o pedido um ano antes. Na reunião ministerial anual da OCDE, em maio, os Estados Unidos oficializaram em Paris apoio à entrada do Brasil na organização. A partir disso, o secretário-geral da organização, Angel Gurría, elaborou um plano, que previa a ampliação da OCDE com seis países, com um cronograma para o início das negociações de adesão. A candidatura da Argentina seria formalizada agora; a da Romênia em dezembro; a do Brasil em maio de 2020; a do Peru em dezembro de 2020, a da Bulgária em maio de 2021 e a da Croácia ficaria para depois. Foi em resposta a esse plano que o secretário de Estado americano afirmou, na carta enviada a Gurría em 28 de agosto, que os Estados Unidos apoiam apenas as candidaturas da Argentina e da Romênia. A proposta americana de endossar somente dois países, sem nem mencionar os demais, foi rejeitada pelos europeus. "Na realidade, hoje, nenhum dos processos está começando", diz uma fonte que acompanha as discussões. Na avaliação de um diplomata brasileiro, os americanos, seguindo a visão de uma expansão gradual, não mencionaram o Brasil e os demais países na carta ao secretário-geral da OCDE, para que isso não configurasse o adiantamento de um compromisso, como uma nota promissória. Essa omissão dos Estados Unidos é "frustrante", diz ele, mas segue a lógica americana "de ir aos poucos". Ele afirma que o conselho da OCDE se reúne todos os meses e que a situação pode mudar rapidamente. "Mas no momento é uma situação de impasse. Precisamos ver como vai evoluir", acrescenta.
Veja Mais

14/10 - Esther Duflo, de 46 anos, é a mais jovem a ganhar Nobel de Economia
Franco-americana é a segunda mulher na história a ganhar o prêmio. Trabalho da pesquisadora dá enfoque econômico diferente sobre a pobreza. Francesa Esther Duflo foi uma das vencedoras do Nobel de Economia de 2019 (foto de arquivo) Patrick Kovarik / AFP A franco-americana Esther Duflo firmou-se nos últimos anos como uma das economistas mais brilhantes de sua geração. Ela é a segunda mulher na história a ganhar o Nobel de Economia, depois da americana Ellinor Ostrom em 2009, e também a mais jovem, com 46 anos. Ela compartilhou o Nobel de Economia de 2019 com dois homens, o americano nascido na Índia, Abhijit Banerjee, que é seu marido, e o americano Michael Kremer. Seus trabalhos, realizados essencialmente na Índia, concentram-se na redução da pobreza. Esther Duflo é também a única mulher entre todos os vencedores do Nobel em 2019. Trio ganha Nobel de Economia 2019 por pesquisas que ajudam combate à pobreza Comida ou livro didático? Vacinação com ou sem brinde? Conheça experiências dos ganhadores "Estou honrada. Para ser honesta, não achei que era possível ganhar o Nobel tão nova", reagiu a economista. "O prêmio Nobel de Economia é único em comparação com outros prêmios, reflete uma mudança no campo econômico e geralmente leva muito tempo" antes que a teoria seja posta em prática, acrescentou, questionada pela Academia. Em sua carreira, ganhou muitos prêmios, incluindo a medalha John Bates Clark em 2010, que recompensa os trabalhos de economistas nos Estados Unidos com menos de 40 anos. Em 2013, a Casa Branca a escolheu para assessorar o presidente Barack Obama em temas de desenvolvimento e foi parte do novo Comitê para o Desenvolvimento Mundial. Selfie enviada ao Nobel por Esther Duflo, a segunda mulher e a pessoa mais jovem a receber o Nobel de Economia. Twitter/The Nobel Prize Acaso e trabalho de campo "É uma intelectual francesa de centro-esquerda que acredita na redistribuição e na noção otimista de que amanhã poderá ser melhor que hoje", escreveu a New Yorker sobre ela em 2010, em uma edição dedicada a inovadores da atualidade. Nascida em Paris em 1972, cresceu em uma família protestante, com uma mãe pediatra, muito envolvida em obras humanitárias, e um pai professor de matemática. Graduada na Ecole Normale Supérieure e na Ecole des Hautes Études em Sciences Sociales (EHESS) na França, também tem um doutorado do Massachusetts Institute of Technology (MIT) nos Estados Unidos, onde é professora. No Laboratório de Pesquisa Abdul Latif Jameel sobre Alívio à Pobreza, que ela co-fundou em 2003 e lidera, seu trabalho é baseado em experiências de campo em parceria com organizações não governamentais. Por exemplo, "se é estabelecido um novo programa de tutoria nas escolas, são escolhidas 200 escolas ao acaso, 100 das quais o programa será estabelecido e as outras 100 não", explicou à AFP em 2010, quando recebeu a medalha John Bates Clark. O avanço dos estudantes é comparado e avaliado em ambos os casos, e os resultados dessa pesquisa são encaminhados às autoridades públicas e a organizações beneficentes como a Fundação Bill e Melinda Gates para que sejam "ampliados", apontou. Pesquisa de combate à pobreza vence Nobel de Economia 'Caricaturas e clichês' Seu livro "Repenser la pauvreté" (Repensar a pobreza), escrito em colaboração com Abhijit Banerjee, recebeu o prêmio Financial Times/Goldman Sachs ao Livro Econômico do Ano de 2011. "Nossa visão da pobreza está dominada por caricaturas e clichês", disse em uma entrevista com a AFP em 2017. "Se quisermos entender os problemas associados à pobreza, devemos ir além dessas caricaturas e entender por que o fato de ser pobre muda algumas coisas no comportamento e outras não". Para ela, esse esforço para mudar a percepção da pobreza também precisa ser aplicado à economia e aos economistas. "Os economistas têm uma reputação muito ruim e parte dessa má reputação se justifica provavelmente pela forma como a disciplina funciona", explicou no começo de 2019 em uma entrevista ao France Inter. "Quando você é economista,as pessoas acham que você está interessado nas finanças ou que você trabalha para os ricos, mas isso não é necessariamente o caso".
Veja Mais

14/10 - Vale fecha acordo para vender participação de empresa na Indonésia
O desinvestimento é uma exigência de um aditivo contratual com o governo do país. Após a transação, Vale e a Sumitomo passarão a deter, em conjunto, 59% das ações da Vale Indonesia. A Vale informou nesta segunda-feira (14) que assinou um acordo, junto com a Sumitomo Metal Mining, para a venda de 20% da mineradora de níquel Vale Indonesia para o governo local. O desinvestimento é uma exigência de um aditivo contratual com o governo do país. Atualmente, a Vale e a Sumitomo são acionistas da Vale Indonesia, possuindo 58,7% e 20,1% das ações, respectivamente. Pelo acordo, as duas companhias teriam que vender 20% da participação para a Inalum, empresa de mineração estatal que supervisiona os investimentos em mineração no país. Após a transação, a Vale e a Sumitomo passarão a deter, em conjunto, cerca de 59% das ações da Vale Indonesia. Os termos finais do contrato serão acordados em documento definitivo que deve ser assinado até o fim de 2019. A conclusão do acordo deve ocorrer depois de seis meses após a assinatura.
Veja Mais

14/10 - Bovespa sobe, em meio à cautela sobre negociações EUA-China
Na sexta-feira, o Ibovespa subiu 1,98%, a 103.831 pontos. Painel da B3, antiga Bovespa, mostra cotações dos papeis negociados na bolsa Paulo Whitaker/Reuters O principal indicador da bolsa de valores de São Paulo, a B3, opera em alta nesta segunda-feira (14), em meio à cautela sobre as negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China. Às 16h06, o Ibovespa subia 0,18%, a 104.016 pontos. Veja mais cotações. Na sexta-feira, o Ibovespa subiu 1,98%, a 103.831 pontos. Na semana passada, a bolsa acumulou alta de 1,25%. No ano, já avançou 18,14% Após Washington e Pequim acertarem um acordo parcial na última sexta-feira, notícias e declarações de autoridades de ambos os lados no sentido de que é necessário mais trabalho para finalizar o acordo traziam dúvidas sobre o que realmente foi alcançado, destaca a Reuters. Rodrigo Donato, assessor sênior da Acqua Investimentos, destacou que o mercado permanece sensível às discussões relacionadas à guerra comercial, mas que a bolsa no Brasil ainda tem um cenário muito positivo. Ele chama a atenção para o cenário de inflação no país, que favorece mais cortes na taxa básica de juros, enquanto a expectativa de retomada da economia está vindo sem prognósticos de pressão nos custos. "O cenário de médio e longo prazos ainda é positivo", afirmou Donato para a Reuters. Ele não descarta, contudo, momentos de realização de lucros nas ações brasileiras por fatores externos. A mais recente pesquisa Focus do BC, nesta segunda-feira, mostrou corte nas estimativas de inflação, levando o grupo que mais acerta as previsões a reduzir ainda mais a expectativa para a taxa básica de juros neste ano.
Veja Mais

14/10 - Importações de soja da China caem em setembro com menor demanda por ração animal
Rebanho suíno do país caiu 38,7% em agosto na comparação com um ano atrás, segundo dados do governo chinês. Brasil é o principal fornecedor de soja da China Appa/Divulgação As importações de soja pela China em setembro caíram em 13,5% na comparação com o mês anterior, mostraram dados alfandegários nesta segunda-feria (14), à medida que uma epidemia de peste suína africana reduziu o rebanho chinês de porcos e reduziu a demanda por farelo de soja. A China, maior mercado do mundo para soja, comprou 8,2 milhões de toneladas da oleaginosa em setembro, ante 9,48 milhões no mês anterior, segundo os dados da Administração Geral de Alfândegas. Ainda assim, o número ficou acima dos 8,01 milhões de toneladas em mesmo período do ano passado, com importadores aumentando as compras de grãos do Brasil devido a preocupações com a falta de oferta em meio à guerra comercial entre EUA e China. "O volume de soja esmagada em setembro foi relativamente pequeno, uma vez que as margens de moagem e a demanda por soja caíram devido à peste suína africana", disse Xie Huilan, analista da Cofeed, empresa de relatórios agrícolas. O rebanho suíno chinês caiu 38,7% em agosto na comparação com um ano atrás, segundo dados publicados pelo Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais no início de setembro. Mas muitos na indústria acreditam que o impacto pode ser ainda maior que o mostrado nos dados oficiais. "Os números ficaram dentro de nossa expectativa, uma vez que processadores aumentaram as importações de alguns grãos da América do Sul em agosto, principalmente por preocupações de que as negociações comerciais (EUA-China) poderiam não ir bem", disse a analista Monica Tu, da consultoria Shanghai JC Intelligence. Guerra comercial Nas últimas semanas, importadores chineses realizaram mais compras de soja dos EUA, após o governo chinês ter aplicado exceções ('waiver') sobre suas tarifas extras, em parte como um gesto de boa vontade antes das negociações entre os dois países. O presidente norte-americano Donald Trump disse na sexta-feira que a China concordou em realizar compras de entre 40 e 50 bilhões de dólares em produtos agrícolas dos EUA, uma vez que os dois países fecharam a primeira fase de um acordo para encerrar meses de guerra comercial.
Veja Mais

14/10 - Educação Financeira #60: Cartões pré-pagos – quando vale a pena e para quem?
Veja dicas e saiba o que avaliar antes de adquirir um. O que são podcasts? Podcasts são episódios de programas de áudio distribuídos pela internet e que podem ser apreciados em diversas plataformas - inclusive no G1, no GloboEsporte.com e no gshow, de modo gratuito. Os conteúdos podem ser ouvidos sob demanda, ou seja, quando e como você quiser! Geralmente, os podcasts costumam abordar um tema específico e de aprofundamento na tentativa de construir um público fiel. Selo Podcast Educação Financeira Arte/G1
Veja Mais

14/10 - Produção de minério de ferro da Vale no cai 17,4% no 3º trimestre na comparação anual
Já na comparação com o 2º trimestre, houve avanço de 35,4%. Mina da Vale de Brucutu, em Minas Gerais Darlan Alvarenga/G1 A produção de minério de ferro da Vale somou 86,7 milhões de toneladas no terceiro trimestre, um recuo de 17,4% na comparação anual e avanço de 35,4% frente ao segundo trimestre, informou a companhia em relatório de produção nesta segunda-feira (14). As vendas de minério de ferro no período foram de 74 milhões de toneladas, com queda de 11,8% na comparação anual, enquanto as vendas de pelotas somaram 11,07 milhões de toneladas, 22,3% abaixo do registrado no mesmo trimestre do ano anterior. A Vale disse que a recuperação trimestral da produção reflete a retomada das operações de Brucutu e o retorno parcial das operações de processamento a seco no Complexo Vargem Grande, anunciados em junho e julho. "A Vale espera retomar a produção remanescente de aproximadamente 50 milhões de toneladas até o final de 2021", acrescentou a companhia no relatório.
Veja Mais

14/10 - PAT Indaiatuba oferece 53 vagas de emprego; confira lista e como se candidatar
Interessados devem comparecer ao Posto de Atendimento ao Trabalhador com os documentos de RG, CPF, Carteira de Trabalho e número do PIS. PAT Indaiatuba oferece 53 oportunidades de emprego nesta segunda-feira (14) Giuliano Miranda RIC/PMI O Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) de Indaiatuba (SP) oferece 53 oportunidades de emprego nesta segunda-feira (14). Os salários vão até R$ 3 mil, com maior remuneração destinada ao cargo de programador (a) de maquinas e Controle Numérico Computadorizado (CNC); confira as vagas abaixo. As oportunidades são para todos os gêneros e em diversos níveis de escolaridade.O tempo de experiência exigido para ocupar a maioria das funções é de seis meses. Em alguns casos, não é necessário ter trabalhado na área para se candidatar. Os interessados devem comparecer ao PAT para análise de perfil e cadastro, com RG, CPF, Carteira de Trabalho e o número do PIS. O PAT Indaiatuba fica na Rua Jacob Lyra, 344, no Parque das Nações, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 15h45. Mais informações pelo telefone (19) 3825-6622. Confira as oportunidades Auxiliar de limpeza - 1 vaga Caldeireiro (a) de manutenção - 1 vaga Costureiro (a) - 2 vagas Cozinheiro (a) - 1 vaga Oficial de serviços gerais na manutenção - 1 vaga Repositor (a) de mercadorias - 1 vaga Chapista de lanchonete - 1 vaga Empregado (a) domestico (a) - 1 vaga Mecânico (a) montador (a) - 1 vaga Motorista carreteiro - 1 vaga Motorista de caminhão - 2 vagas Oficial de manutenção predial - 1 vaga Programador (a) de maquinas e cnc - 1 vaga Ajustador (a) mecânico (a) - 1 vaga Arte finalista - 1 vaga Assistente de vendas - 1 vaga Auxiliar administrativo - 3 vagas Auxiliar de enfermagem - 2 vagas Design de vitrines - 1 vaga Estoquista - 1 vaga Churrasqueiro (a) - 1 vaga Gerente de loja e supermercado - 1 vaga Instalador (a) reparador (a) de redes telefônicas e de comunicações - 3 vagas Manobrista - 1 vaga Mecânico (a) de ar condicionado e refrigeração - 2 vagas Motorista de caminhão - 1 vaga Oficial de manutenção - 1 vaga Operador (a) de caixa - 1 vaga Operador (a) de centro de usinagem de madeira CNC - 1 vaga Operador (a) de telemarketing ativo - 1 vaga Operador (a) de torno com comando numérico - 1 vaga Recepcionista - 1 vaga Revisor (a) têxtil - 1 vaga Serralheiro (a) - 1 vaga Vendedor (a) interno (a) - 1 vaga Técnico (a) de refrigeração e instalação - 1 vaga Técnico (a) de enfermagem - 2 vagas Analista de logística e transporte - 1 vaga Consultor (a) de vendas - 1 vaga Enfermeiro (a) - 2 vagas Fisioterapeuta - 2 vagas Veja mais oportunidades da região no G1 Campinas
Veja Mais

14/10 - De costureira a eletricista, CPAT Campinas divulga 38 vagas de emprego com salários até R$ 2,5 mil
Interessados devem comparecer a uma das unidades do CPAT para análise de perfil e cadastro. Documentos obrigatórios são RG, CPF, Carteira de Trabalho e o número do PIS. CPAT oferece 38 vagas de emprego nesta segunda-feira (14) Murillo Gomes/G1 O Centro Público de Apoio ao Trabalhador (CPAT) de Campinas (SP) oferece 38 oportunidades de emprego para moradores da região nesta segunda-feira (14). Os salários vão até R$ 2.505, sendo a maior remuneração destinada ao cargo de mecânico (a) de ônibus; confira as vagas abaixo. As ofertas são para todos os gêneros e contemplam diversos níveis de escolaridade. A maior parte delas exige experiência de seis meses na função desejada. Ao todo, nove cargos são exclusivos para pessoas com deficiência (PCD). Para se candidatar, é necessário comparecer a uma das unidades do CPAT para análise de perfil e cadastro, levando RG, CPF, Carteira de Trabalho e número do PIS. O órgão esclarece que as vagas estão sujeitas a alterações ao longo do dia. Para mais informações, acesse o site do órgão Confira a lista de vagas Auxiliar administrativo (a) - 2 vagas (PCD) Auxiliar de garçom - 1 vaga Auxiliar de monitoramento - 1 vaga Camareira/arrumador de hotel - 1 vaga Conferente de carga e descarga - 1 vaga (PCD) Cortador (a) de roupas - 1 vaga Costureira (o) - 1 vaga Cozinheiro (a) geral - 1 vaga Cumim - 1 vaga (PCD) Eletricista - 2 vagas Fiscal de loja - 1 vaga (PCD) Garçom/garçonete - 1 vaga Mecânico de motor de ônibus - 1 vaga Motorista de caminhão - 10 vagas Operador (a) de pá carregadeira - 2 vagas Recepcionista de restaurante - 1 vaga (PCD) Vendedor (a) interno (a) - 3 vagas (PCD) Vendedor (a) externo (a) - 7 vagas Endereço CPAT Unidade Centro Avenida Campos Sales, 427 – Centro, Campinas (SP) De segunda a sexta-feira das 7h30 às 17h30 O atendimento na última sexta-feira do mês é encerrado 12h Unidade Ouro Verde Avenida Ruy Rodrigues, 3.900, Parque Universitário (shopping Spazio Ouro Verde, 1º andar) De segunda a sexta-feira das 8h às 16h O atendimento na última sexta-feira do mês é encerrado às 11h Unidade Campo Grande Rua Manoel Machado Pereira, 902 (em frente à Praça da Concórdia De segunda a sexta-feira das 8h às 16h O atendimento na última sexta-feia do mês é encerrado às 11h Veja mais oportunidades da região no G1 Campinas
Veja Mais

14/10 - UE anuncia futura disputa na OMC contra a Colômbia por batatas fritas
Para comissária Europeia do Comércio, Cecilia Malmström, tarifas antidumping sobre as importações de batatas congeladas da Bélgica, Alemanha e Holanda "são injustas" e "prejudicam as empresas" dos países. A União Europeia (UE) se prepara para levar a Colômbia à Organização Mundial do Comércio (OMC) por suas tarifas antidumping sobre as importações de batatas congeladas de três países europeus, anunciou nesta segunda-feira (14) a comissária Europeia do Comércio, Cecilia Malmström. "Eu instruí (...) a iniciar uma disputa no âmbito da OMC contra a Colômbia o mais rápido possível", anunciou Malmström, para quem essas tarifas "são injustas" e "prejudicam as empresas" da Bélgica, Alemanha e Holanda. O governo colombiano abriu uma investigação em agosto de 2017 sobre as importações de batatas congeladas desses três países da UE, um procedimento concluído em novembro de 2018 com a imposição de direitos antidumping. Em seguida, o ministro da Agricultura da Colômbia, Andrés Valencia Pinzón, explicou que "74% das importações de batata congelada que entravam no país a preços antidumping deverão agora entrar a preços que não afetem" o agronegócio. A Bélgica denunciou a situação à Comissão Europeia, responsável pela política comercial do bloco. A comissária europeia afirmou que tentou dialogar para chegar a um acordo com o governo colombiano. "Mas todos os esforços falharam".
Veja Mais

14/10 - Dólar fecha em alta e volta R$ 4,12, em dia de maior cautela no exterior
Na sexta-feira, a moeda norte-americana caiu 0,69%, a R$ 4,0943. EUA e China chegam a acordo preliminar que pode pôr fim à guerra comercial O dólar fechou em alta nesta segunda-feira (14), em dia de maior aversão ao risco no exterior diante de preocupações sobre o crescimento econômico global após dados fracos da China, em cenário ainda de cautela sobre as relações comerciais entre Pequim e Washington, segundo a Reuters. A moeda norte-americana encerrou o pregão em alta de 0,82%, vendida a R$ 4,1278. Veja mais cotações. Na sexta-feira, a moeda norte-americana caiu 0,69%, a R$ 4,0943. Mas, na semana passada, a alta foi de 0,95%. No ano, o dólar acumula elevação de 5,68% sobre o real. Cenário externo A queda do dólar na sexta veio na esteira de notícias de que os Estados Unidos e a China acertaram a primeira fase de um acordo para encerrar a guerra comercial entre os dois países. No entanto, segundo a economista-chefe da CM Capital Markets, Camila Abdelmalack, o otimismo sobre o acordo perdeu força nesta sessão, com operadores voltando a ter cautela sobre a situação, destaca a Reuters. Nesta segunda-feira, a Bloomberg informou que a China quer mais negociações já no final de outubro para definir os detalhes da "fase um" do acordo comercial esboçado por Trump, antes que o presidente chinês Xi Jinping concorde em assiná-lo. "O acordo não deixa de ser parcial que ainda vai ser assinado. Não há 100% de certeza de que tudo vai ocorrer bem até a assinatura dele e isso traz uma certa cautela", afirmou Abdelmalack. Adicionalmente, dados divulgados nesta segunda mostraram que a queda nas exportações da China se intensificou em setembro enquanto as importações contraíram pelo quinto mês seguido, indicando mais fraqueza na economia e destacando a necessidade de mais estímulo em meio à guerra comercial com os EUA. Os números ajudavam a pintar um cenário de maior cautela, diante da retomada das preocupações acerca da saúde da economia global. Cenário local Na cena doméstica, o Banco Central vendeu nesta segunda-feira 2.000 contratos de swap cambial reverso, de oferta de até 10.500 contratos, e US$ 100 milhões em dólar à vista, de oferta de até US$ 525 milhões. Adicionalmente, a autarquia também ofertará contratos de swap tradicional, para rolagem do vencimento dezembro de 2019.
Veja Mais

14/10 - 'Prévia' do PIB medida pelo Banco Central registra alta de 0,07% em agosto
No acumulado do ano, houve alta de 0,66%. Em 12 meses até agosto, houve expansão de 0,87%, informou o Banco Central. O nível de atividade da economia brasileira registrou alta de 0,07% em agosto na comparação com julho, indicou nesta segunda-feira (14) o Banco Central (BC). O resultado é do chamado Índice de Atividade Econômica do BC (IBC-Br), considerado uma "prévia" do PIB. O índice foi calculado após ajuste sazonal (uma espécie de compensação para comparar períodos diferentes). O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia. Os números de agosto vieram após um mês de queda. Em julho, o indicador apresentou retração de 0,07% (dado revisado). Em oito meses deste ano, foram registradas apenas três altas na prévia do PIB. Na comparação com agosto do ano passado, o índice apresentou contração de 0,73%, segundo números do Banco Central. Na parcial do ano, foi registrada uma alta de 0,66% e, em 12 meses até agosto, um crescimento de 0,87%. Esses valores foram calculados sem ajuste sazonal, pois consideram períodos iguais. Prévia do PIB em agosto fica em 0,07%, diz Banco Central 2º trimestre e previsões De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados no fim de agosto, o PIB brasileiro cresceu 0,4% no segundo trimestre, na comparação com os três primeiros meses do ano. O resultado veio um pouco acima do esperado pelo mercado e afastou o risco de entrada do país em uma recessão técnica – caracterizada por dois trimestres seguidos de retração do PIB. O mercado financeiro estimou, na semana passada, uma alta do PIB de 0,87% para este ano. Para 2020, a previsão de crescimento do PIB permaneceu em 2%. Já o governo federal elevou sua expectativa para o crescimento da economia, em 2019, de 0,81% para 0,85%. Para o BC, o crescimento ficará em torno de 0,9% neste ano. PIB e IBC-Br O IBC-Br foi criado para tentar antecipar o resultado do PIB, que é divulgado pelo IBGE. Os resultados do IBC-Br, porém, nem sempre mostraram proximidade com os dados oficiais do PIB. O cálculo dos dois têm diferenças – o índice do BC incorpora estimativas para a agropecuária, a indústria e o setor de serviços, além dos impostos. Definição dos juros básicos da economia O IBC-Br ajuda o Banco Central na definição dos juros básicos da economia. Com o menor crescimento da economia, por exemplo, teoricamente haveria menos pressão inflacionária. Atualmente, a taxa Selic está em 5,5% ao ano, na mínima histórica, e a estimativa do mercado é de que recue para 4,75% ao ano até o fim de 2019. Pelo sistema que vigora no Brasil, o BC precisa ajustar os juros para atingir as metas preestabelecidas de inflação. Quanto maiores as taxas, menos pessoas e empresas ficam dispostas a consumir, o que tende a fazer com que os preços baixem ou fiquem estáveis. Para 2019, a meta central de inflação é de 4,25%, com um intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos. Desse modo, o IPCA, considerado a inflação oficial do país e medida pelo IBGE, pode ficar entre 2,75% e 5,75%, sem que a meta seja formalmente descumprida.
Veja Mais

14/10 - Empresa de energia disponibiliza 19 vagas de emprego em Campinas; veja como se inscrever
Interessados devem se candidatar pela internet ou enviar currículo atualizado para um endereço de e-mail até 15 de novembro. CPFL está com vagas de emprego abertas. Aurélio Aureliano/EPTV A empresa de energia CPFL Soluções está com 19 vagas de emprego disponíveis para a cidade de Campinas (SP). Os interessados podem se candidatar para a função até 15 de novembro pelo site da empresa, ou enviar um currículo atualizado para o e-mail recrutaservicos@cpfl.com.br. No caso do e-mail, o candidato precisa escrever o cargo para o qual está se candidatando no campo do assunto. Os interessados devem ser maiores de 18 anos, ter o ensino fundamental completo e disponibilidade de horário, além de residir na cidade onde a vaga está disponível. De acordo com a função escolhida, o candidato também precisa ter experiência comprovada na área de atuação, curso de especialização ou conhecimentos específicos. Confira as oportunidades Eletricista de linha viva – 2 vagas Eletricista de linha morta – 13 vagas Supervisor de construção de redes – 2 vagas Técnico de medição de obras Junior – 1 vaga Técnico de planejamento de obras – 1 vaga Veja mais oportunidades da região no G1 Campinas
Veja Mais

14/10 - Produção industrial da zona do euro se recupera com impulso de bens de capital
A leitura pode reduzir as preocupações sobre a desaceleração da economia da zona do euro no terceiro trimestre. A produção industrial da zona do euro avançou mais do que o esperado em agosto, mostraram estimativas oficiais nesta segunda-feira (14), com as fábricas investindo mais em maquinário, um sinal positivo para as perspectivas econômicas do bloco em meio a uma cenário bastante sombrio. A agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, informou que a produção industrial no bloco de 19 países avançou 0,4% ao mês em agosto, ficando acima do consenso do mercado de um aumento de 0,3%. O aumento, apenas o terceiro ganho mensal em 2019, compensou totalmente a queda de 0,4% registrada em julho. A leitura pode reduzir as preocupações sobre a desaceleração da economia da zona do euro no terceiro trimestre. Uma primeira estimativa do Produto Interno Bruto será divulgada pela Eurostat em 31 de outubro. As estimativas da Eurostat mostraram nesta segunda-feira um crescente apetite por investimentos entre os gerentes de fábricas. A produção de bens de capital, como máquinas, subiu 1,2% no mês de agosto, após alta de 2,1% em julho, indicando expansão da capacidade. A produção também aumentou para bens intermediários, mas caiu para produtos de consumo duráveis ​​e não duráveis, em um sinal de que os fabricantes podem esperar pelo menos uma desaceleração das vendas a curto prazo.
Veja Mais

14/10 - Analistas do mercado reduzem para 3,28% estimativa de inflação em 2019
Previsão anterior era de 3,42% para este ano. Queda aconteceu após inflação negativa em setembro. Estimativa de crescimento do PIB em 2019 segue em 0,87%. Após a deflação registrada em setembro, os economistas do mercado financeiro reduziram novamente a previsão de inflação para todo ano de 2019, que passou de 3,42% para 3,28%. Foi a décima queda seguida do indicador. A projeção consta no boletim de mercado conhecido como relatório "Focus", divulgado nesta segunda-feira (14) pelo Banco Central (BC). O relatório é resultado de levantamento feito na semana passada com mais de 100 instituições financeiras. Com isso, a expectativa de inflação do mercado para 2019 segue abaixo da meta central, de 4,25%. O intervalo de tolerância do sistema de metas varia de 2,75% a 5,75%. A meta de inflação é fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para alcançá-la, o Banco Central eleva ou reduz a taxa básica de juros da economia (Selic). Para 2020, o mercado financeiro baixou a estimativa de inflação de 3,78% para 3,73%. Foi a terceira queda seguida do indicador. No próximo ano, a meta central de inflação é de 4% e terá sido oficialmente cumprida se o IPCA oscilar entre 2,5% e 5,5%. PIB Para este ano, a estimativa de alta do Produto Interno Bruto (PIB) permaneceu estável, em 0,87%. Para 2020, a previsão de crescimento do PIB continuou em 2%. O PIB é a soma de todos os bens e serviços feitos no país, independentemente da nacionalidade de quem os produz, e serve para medir o comportamento da economia brasileira. Para 2019, a previsão do Banco Central é de uma alta de 0,8%, e a do Ministério da Economia é de um crescimento de 0,85%. Outras estimativas Taxa de juros - O mercado manteve em 4,75% ao ano a previsão para a taxa Selic no fim de 2019. Atualmente, a taxa de juros está em 5,5% ao ano. Com isso, o mercado segue prevendo queda nos juros neste ano. Para o fim de 2020, a projeção recuou de 5% para 4,75% ao ano. Com isso, o mercado passou a prever estabilidade da Selic no ano que vem. Dólar - A projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2019 permaneceu em R$ 4 por dólar. Para o fechamento de 2020, continuou em R$ 3,95 por dólar. Balança comercial - Para o saldo da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações), a projeção em 2019 recuou de US$ 50,55 bilhões para US$ 50,43 bilhões de resultado positivo. Para o ano que vem, a estimativa dos especialistas do mercado caiu de US$ 47,50 bilhões para US$ 47 bilhões. Investimento estrangeiro - A previsão do relatório para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil, em 2019, recuou de US$ 83 bilhões para US$ 81,85 bilhões. Para 2020, a estimativa dos analistas passou de US$ 84 bilhões para US$ 83,20 bilhões.
Veja Mais

14/10 - Índices da China sobem mais de 1% por trégua na guerra comercial
Investidores comemoraram sinais de melhora nas relações comerciais entre EUA e China depois que Trump esboçou na sexta-feira a primeira fase de um acordo para acabar com a guerra comercial e suspendeu o aumento de tarifas que entraria em vigor nesta terça. Os principais índices acionários da China subiram mais de 1% nesta segunda-feira (14), liderados pelas ações de tecnologia e do setor financeiro, com os investidores comemorando sinais de avanço nas negociações comerciais com os Estados Unidos. Ainda assim, prevaleciam dúvidas sobre um acordo durável entre as duas potências econômicas, e a saúde econômica da China limitou os ganhos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 1,06%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 1,15%. Investidores comemoraram sinais de melhora nas relações comerciais entre EUA e China depois que o presidente norte-americano, Donald Trump, esboçou na sexta-feira a primeira fase de um acordo para acabar com a guerra comercial e suspendeu o aumento de tarifas que entraria em vigor na terça-feira. "É uma injeção de energia para o mercado", escreveu o analista do Guosheng Securities Zhang Qiyao, descrevendo o acordo limitado como "melhor do que o esperado". A China quer mais negociações já no final de outubro para definir os detalhes da "fase um" do acordo comercial esboçado pelo presidente dos Estados Unidos, antes que o presidente chinês Xi Jinping concorde em assiná-lo, informou a Bloomberg nesta segunda-feira, citando pessoas familiarizadas com o assunto. Pequim pode enviar uma delegação liderada pelo vice-premiê Liu He para finalizar um acordo escrito que poderia ser assinado pelos dois líderes na cúpula da Cooperação Ásia-Pacífico no próximo mês no Chile, disse a Bloomberg. A China quer que Trump também descarte um aumento planejado de tarifas em dezembro além da alta marcada para esta semana, conforme a reportagem. Em TÓQUIO, o índice Nikkei não teve operações. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,81%, a 26.521 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 1,15%, a 3.007 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 1,06%, a 3.953 pontos. Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 1,11%, a 2.067 pontos. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 1,63%, a 11.066 pontos. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 0,34%, a 3.124 pontos. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,54%, a 6.642 pontos.
Veja Mais

14/10 - OMC autoriza tarifas dos EUA contra a UE por litígio Airbus-Boeing
Os Estados Unidos anunciaram que as novas tarifas, que poderiam afetar uma ampla gama de produtos de consumo, como o azeite espanhol ou os vinhos franceses, poderiam entrar em vigor já nesta sexta-feira. Airbus A380 (dir.) é exposto ao lado de um Boeing 787 Dreamliner (esq.) durante feira Leon Neal/AFP A Organização Mundial do Comércio (OMC) autorizou nesta segunda-feira (14) Washington a impor tarifas à União Europeia (UE), em retaliação aos subsídios concedidos à fabricante europeia de aeronaves Airbus. No início de outubro, a OMC autorizou o estabelecimento de tarifas de quase 7,5 bilhões de dólares (6,8 bilhões de euros) sobre bens e serviços europeus importados todos os anos, mas essa decisão devia ser aprovada pelo Órgão de Solução de Litígios (OSD) da organização. A sanção - a mais forte já imposta pela OMC - foi oficialmente validada durante uma reunião especial do OSD nesta segunda em Genebra, segundo uma autoridade do organismo. A UE reagiu à decisão afirmando que "lutará até o fim" para dissuadir os americanos de impor sanções alfandegárias. Os Estados Unidos anunciaram que as novas tarifas, que poderiam afetar uma ampla gama de produtos de consumo, como o azeite espanhol ou os vinhos franceses, poderiam entrar em vigor já nesta sexta-feira. Autoridades da UE expressaram o seu desejo de encontrar uma solução negociada com Washington para, assim, evitar a escalada das atuais tensões comerciais. Se as discussões falharem, a UE poderá ser autorizada a impor tarifas sobre os produtos americanos se conseguir convencer, no próximo ano, a OMC de que a fabricante de aeronaves Boeing também se beneficiou de subsídios ilegais do governo dos EUA. A batalha legal entre Airbus e Boeing na OMC começou há 15 anos, quando Washington declarou expirado o acordo assinado pelos americanos e europeus em 1992. Em 2004, os Estados Unidos acusaram o Reino Unido, França, Alemanha e Espanha de conceder subsídios ilegais para apoiar a fabricação de uma série de produtos da Airbus. Um ano depois, a UE disse que a Boeing também recebeu bilhões de dólares em subsídios proibidos de vários ramos do governo dos EUA.
Veja Mais

14/10 - Light vende fatia de 17% na Renova Energia ao fundo CG I por R$ 1
O CG se comprometeu a vender parte das ações objeto da operação à Cemig GT, da Cemig, acionista da Light, "caso essa última exerça seu direito de preferência". A elétrica Light celebrou contrato para venda da totalidade de suas ações na Renova Energia, equivalentes a 17,17% do capital social da companhia, ao fundo de investimento CG I, por valor simbólico de R$ 1, segundo comunicado da empresa nesta segunda-feira (14). O CG ainda se comprometeu a vender parte das ações objeto da operação, sujeita a condições precedentes, à Cemig GT, da Cemig, acionista da Light, "caso essa última exerça seu direito de preferência", acrescentou a elétrica. O anúncio da operação acontece após o fracasso na semana passada de uma tentativa da Renova de vender seu parque eólico Alto Sertão III à AES Tietê, que disse na quarta-feira não ter chegado a um acordo para compra do ativo. A Light disse no comunicado que a transação envolvendo as ações da Renova "estão em linha com a estratégia de desinvestimento de ativos non-core" e em sua intenção de focar na melhoria operacional de suas operações de distribuição. A empresa ainda celebrou termo de cessão pelo qual sua unidade de comercialização de energia Lightcom celebrou termo pelo qual cedeu todos seus créditos em face da Renova ao fundo CG. Segundo a Light, o fechamento da transação está sujeito a condições que incluem notificações ao BNDESPar, acionista da Renova, quanto ao direito de tag along total e direto e à Cemig GT, também acionista da empresa renovável, quanto ao direito de preferência e de venda conjunta. O fundo CG 1 reúne participações dos fundadores da Renova, Ricardo Lopes Delneri e Renato do Amaral, em empresas.
Veja Mais

14/10 - O que fazer se você odeia seu chefe
Um estudo aponta que 7% das pessoas não se dão bem com seus superiores, mas como lidar com isso? 7% das pessoas dizem que não se dão bem com o chefe, de acordo com um estudo Getty Images "Na verdade, eu amava meu trabalho, mas, quando você tem um chefe que odeia o que faz ou está apenas tentando te minar, isso realmente acaba com o seu entusiasmo", diz Craig*. A princípio, ele gostava da gerente para quem trabalhava, mas isso mudou quando a viu gritar com um assistente da equipe. E as coisas só pioraram a partir daí. Ela gritava com Craig no escritório e o criticava publicamente em eventos empresariais. "No início, eram comentários maliciosos. Mas, aos poucos, as coisas começaram a mudar, e os comentários se tornaram mais agressivos, hostis e condescendentes." Craig diz que ir ao trabalho todos os dias tornou-se algo que o "destruía por dentro". "Meus relacionamentos pessoais também foram prejudicados", acrescenta ele. "Quando você trabalha para um chefe ruim, alguém que constantemente te menospreza, isso acaba com sua autoestima. Você não realiza seu melhor trabalho, não se sente feliz, não quer fazer aquele esforço extra." Sua experiência não é incomum: 7% das pessoas dizem que não se dão bem com o chefe, de acordo com um estudo do Chartered Institute of Personnel and Development (CIPD), uma organização profissional de recursos humanos da Inglaterra. 'São as pequenas coisas' Na maioria dos casos, os funcionários passam a ter uma visão negativa do chefe por algo que consideram ser uma injustiça cometida por ele ou ela ou pela carga de trabalho excessiva, diz Ben Willmott, chefe de políticas públicas do CIPD. "Muitas vezes são pequenas coisas que se acumulam e levam a uma crise", afirma Willmott. Para evitar isso, ele incentiva os funcionários a ter uma conversa honesta com seu superior sobre o problema, caso se sintam à vontade para fazê-lo. "O chefe pode não ter consciência de como seu comportamento está sendo percebido, e isso por si só pode ser suficiente para fazer um alerta", diz Willmott. No entanto, ele ressalta que questões mais sérias, como bullying ou assédio, devem ser tratadas pelo departamento de recursos humanos ou outro chefe. 'Pense bem' Willmott diz que um bom chefe deve saber um pouco sobre a vida de seus funcionários, como se eles têm filhos e para onde gostam de viajar nas férias. "Se você não se importa com sua equipe, não gera confiança na relação de trabalho e, sem confiança, construirá uma organização em bases que não são sólidas", diz ele. Ele acredita que antes de desistir do emprego as pessoas devem pensar "longamente" sobre a possibilidade de mudança da cultura profissional. No entanto, Damian Beeley, consultor de relações públicas que já teve problemas com um chefe e agora lidera uma equipe na empresa Haggie Partners, diz que, se o problema for pessoal, talvez seja hora de procurar um novo emprego. "Se você não gosta do chefe e ele não gosta de você, provavelmente isso nunca vai mudar", diz ele. Mas Beeley acha que este é um problema mais fácil de se ter enquanto chefe do que se a pessoa for um funcionário. "Como chefe, se há pessoas que não gostam de você, isso deve ser uma preocupação e você pode querer refletir sobre o motivo. Mas, se você é um funcionário e odeia seu chefe, esse é uma situação muito mais desconfortável emocionalmente de se estar." Adam Whatson sabe como é ter funcionários que se voltam contra um chefe. Ele foi contratado para gerenciar uma equipe de oito pessoas, mesmo sem ter experiência em chefiar. Todos os seus subordinados eram mais velhos do que ele. "Fui burro ao aceitar o trabalho, e foi igualmente burro da parte deles me oferecer o emprego", diz ele. Whatson afirma que vários membros de sua equipe haviam se candidatado àquela posição e não gostaram do fato de ela ter sido oferecida a ele. "Eles nunca me viram como chefe, porque eu era mais jovem que eles. Eles me viam como um farsante", diz ele. Whatson sabia que sua equipe havia se voltado contra ele quando voltou do almoço durante o período de festas de fim de ano e descobriu que todos haviam saído para um almoço de Natal sem convidá-lo. Ele afirma que não lidou muito bem com essa situação e pediu demissão após oito meses. De empregado a ladrão Mas as empresas correm o risco de perder muito mais do que apenas funcionários se uma equipe não se relacionar bem com seu chefe. A frustração entre funcionários e a gerência pode levar a comportamentos criminosos, de acordo com Rosalind Searle, especialista em confiança organizacional da Universidade de Glasgow, na Escócia. "Se você não lida com a frustração, ela pode se transformar em raiva, uma situação em que as pessoas ficam dispostas a retaliar, e desprezo, quando passam a se insubordinar. Se um funcionário sente que houve uma injustiça, pode tentar resolvê-la de uma maneira mais nefasta", alerta Searle. O funcionário pode roubar da empresa se achar que está sendo mal pago ou não cumprir seu horário de trabalho se achar que algo pedido é irracional, afirma ela. Craig começou a passar cada vez mais tempo na academia ou no pub "apenas tentando esquecer as coisas". Desde então, mudou de emprego, mas ainda se lembra de como o escritório pode se tornar um "local de tortura". *O nome do entrevistado foi alterado para preservar sua identidade.
Veja Mais

14/10 - Vírus de resgate usou falha no Apple Software Update para atacar empresa do setor automotivo
BitPaymer burlou programas de segurança usando truque para ser carregado por programa da Apple. Hackers tiraram proveito de uma vulnerabilidade do Apple Software Update, instalado junto do iTunes e iCloud, para disseminar um vírus de resgate chamado BitPaymer em sistemas Windows na rede de uma empresa norte-americana do setor automotivo, que não teve o nome revelado. O ataque foi estudado pela empresa de segurança Morphisec, que identificou que a falha existia pela falta de uso de aspas no programa de atualização. O incidente ocorreu em agosto, mas foi divulgado só agora, após a Apple lançar uma atualização que corrige a vulnerabilidade e previne novos ataques. A falha não permite que um hacker acesse diretamente um computador com iTunes ou iCloud, mas deixa o sistema exposto a ataques quando conectado a uma rede que pode ter outros computadores contaminados. Apple Software Update é responsável por baixar atualizações dos programas da Apple, como iTunes e iCloud. Reprodução Mesmo assim, a brecha teve um papel relevante nos ataques, pois os hackers conseguiram enganar o programa da Apple para iniciar o vírus durante os procedimentos que normalmente verificariam a existência de uma atualização. Isso camuflou o método de propagação do vírus. A técnica também confundiu alguns programas de segurança. Pragas digitais desconhecidas podem ser barradas por meio da análise de comportamento, que identifica atividades suspeitas. Mas quando um arquivo é carregado programas confiáveis (como é o caso do mecanismo de atualização da Apple), as atividades podem ser ignoradas por conta do risco de alarmes falsos. Após ser ativado, o BitPaymer criptografa os arquivos do sistema e cobra o pagamento de um resgate pela recuperação dos dados, como é característico dos vírus de resgate. Erro aconteceu por falta do uso de aspas A brecha foi explorada na versão mais recente do software da Apple disponível à época do ataque, mas a falha em si — que ocorre pela falta do uso de aspas na programação — é conhecida há mais de 15 anos e já apareceu em muitos outros aplicativos. O erro resulta de uma ambiguidade em nomes de arquivos com espaços em seu nome ou nas pastas. Ao ser carregado pelo Windows, um programa pode ser iniciado com argumentos, ou comandos, que são especificados com um espaço após o nome do arquivo. Sem aspas para delimitar o nome do arquivo, o Windows não tem como saber o que é nome e o que é comando quando se depara com um espaço. Por exemplo, o caminho "C:\Arquivos de Programas", quando lido com as aspas, indica uma pasta ou arquivo chamado "Arquivos de Programas" na unidade "C:", sem nenhuma ambiguidade. Mas, sem aspas, ele pode estar indicando um programa chamado "C:\Arquivos" (ou até "C:\Arquivos.exe") que seria iniciado com o comando "de Programas". Em atalhos do Windows, caminhos de arquivos devem ser escritos com aspas no começo e no fim para evitar ambiguidades. Reprodução Para não gerar mensagens de erro, o Windows muitas vezes tenta encontrar o arquivo que seria especificado com e sem aspas. Ou seja, quando o arquivo que seria carregado sem aspas não existe, o Windows procura o arquivo com aspas. Dessa maneira, muitos programas funcionam corretamente apesar da ausência indevida das aspas. Mas existe o risco de um hacker plantar um arquivo em uma pasta específica, fazendo com que ele seja carregado indevidamente durante uma rotina, e foi isso que aconteceu com o software da Apple. Apesar de serem bem conhecidas, a exploração desse tipo de falha no mundo real é rara, como observa a Morphisec. Em muitos casos, um hacker não sabe se sua vítima terá algum programa vulnerável instalado. No entanto, nesse caso, os hackers planejaram e executaram um ataque moldado conforme os programas usados nos sistemas da rede da vítima. BitPaymer O vírus BitPaymer é conhecido desde 2017, quando foi usado para atacar hospitais na Escócia. A Morphisec acompanha as ações do vírus BitPaymer há algum tempo. De acordo com a empresa, os hackers enviam e-mails para as vítimas para conseguir estabelecer um ponto de acesso inicial na rede. Em seguida, os hackers mapeiam os sistemas da empresa e tentam aprofundar seu alcance na rede, obtendo credenciais senhas de funcionários e administradores. O vírus de resgate em si é normalmente acionado nos fins de semana, em especial no sábado, para que o vírus tenha tempo de fazer o maior estrago possível. Entre as vítimas recentes dos hackers estão 15 empresas norte-americanas atuantes nas áreas das finanças, da agricultura e da tecnologia, segundo a Morphisec. Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para g1seguranca@globomail.com Selo Altieres Rohr Ilustração: G1
Veja Mais

14/10 - Inscrições para processo seletivo do IBGE terminam nesta terça-feira
São ofertadas 35 vagas para Sergipe. Os aprovados irão participar da realização do Censo Demográfico 2020 Licia Rubistein/Agência IBGE de Notícias/Arquivo O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) está com processo seletivo aberto para o preenchimento de 35 vagas em Sergipe, incluindo a capital e outros nove municípios sergipanos. Os salários variam entre R$ 1,7 mil e R$ 3,1 mil. Os aprovados irão participar da realização do Censo Demográfico 2020. Em todo o país, o edital oferece mais de 2,6 mil vagas para as funções de Coordenador Censitário Subárea (CCS) e Agente Censitário Operacional (ACO), ambas de nível médio. As inscrições podem ser realizada até essa terça-feira (15) através do site da Fundação Getúlio Vargas, organizadora do concurso. Para o cargo de CCS, com 12 vagas em Sergipe, o valor para se inscrever é de R$ 58 e para ACO, com 23 vagas, R$ 42,50. Em Sergipe, as vagas são para os seguintes municípios: Aracaju, Carira, Estância, Itabaianinha, Neópolis, Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora do Socorro, São Cristóvão e Tobias Barreto. O contrato terá duração de até 12 meses, podendo ser prorrogado.
Veja Mais

14/10 - Nove cidades oferecem 116 vagas de emprego no Grande Recife e na Zona da Mata
Das oportunidades, 46 são exclusivas para pessoas com deficiência e duas, temporárias. Entre as oportunidades estão empregos nas áreas de padeiro, mototaxista, gerente de supermercado e auxiliar de cozinha Divulgação Nove cidades de Pernambuco oferecem, ao todo, 116 vagas de emprego, nesta segunda-feira (14). As oportunidades, divulgadas pela Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação (SETEQ), são oferecidas no Recife, em Camaragibe, Ipojuca, Goiana, Igarassu, Cabo de Santo Agostinho, Vitória de Santo Antão, Paudalho e Nazaré da Mata. Entre as vagas estão empregos nas áreas de padeiro, mototaxista, gerente de supermercado e auxiliar de cozinha. Do total, 46 são exclusivas para pessoas com deficiência e duas, temporárias. Caso haja interesse em alguma das oportunidades, é necessário comparecer a uma das unidades da Agência do Trabalho. Confira as oportunidades: Vagas em Camaragibe Vagas em Paudalho Vagas em Ipojuca Vagas em Nazaré da Mata Vagas em Goiana Vagas em Igarassu Vagas em Vitória de Santo Antão Vagas no Cabo de Santo Agostinho Vagas no Recife Vagas para pessoas com deficiência Vagas temporárias
Veja Mais

14/10 - Trio ganha Nobel de Economia 2019 por pesquisas que ajudam combate à pobreza
Abhijit Banerjee, Esther Duflo e Michael Kremer desenvolveram métodos que permitem ações mais eficazes para melhorar saúde infantil e o desempenho escolar. Nobel de Economia premia trio por iniciativa para aliviar pobreza global O americano nascido na Índia Abhijit Banerjee, a franco-americana Esther Duflo e Michael Kremer, também dos Estados Unidos, foram premiados nesta segunda-feira (14) com o Nobel de Economia por seus trabalhos no combate à pobreza. O trio foi premiado "por sua abordagem experimental para aliviar a pobreza global", afirmou o júri. "As descobertas das pesquisas dos premiados - e as dos pesquisadores que seguem os passos deles - melhoraram drasticamente nossa capacidade de combater a pobreza na prática", acrescentou em comunicado a Academia Real de Ciências da Suécia Abhijit Banerjee e Esther Duflo são casados, professores no Massachusetts Institute of Technology (MIT) e tornaram-se cidadãos americanos. Michael Kremer Kremer é professor na Universidade de Harvard. Veja os principais destaques do Nobel de Economia 2019: Esther Duflo, de 46 anos, é a segunda mulher a vencer o Nobel de Economia em seus 50 anos de existência e também a mais jovem; Segundo a Academia, as pesquisas do trio mostram que a questão da pobreza pode ser combatida de forma mais eficiente se dividida em questões menores e mais precisas em áreas como educação e saúde, e a partir de experimento de campo em países como Quênia e Índia; Como resultado direto de um dos estudos, mais de 5 milhões de crianças se beneficiaram na Índia de programas de aulas de reforço na escola, e significativos ​​subsídios para cuidados de saúde preventivos foram introduzidos em diversos países. As pesquisas do trio Segundo o júri, os estudos e novas abordagens desenvolvidas pelo trio permitiram, por exemplo, ações mais eficazes para melhorar a saúde infantil e o desempenho escolar, como reformas educacionais que adaptam o ensino às necessidades dos alunos. Comida ou livro didático? Vacinação com ou sem brinde? Conheça experiências dos ganhadores "Como resultado direto de um de seus estudos, mais de 5 milhões de crianças indianas se beneficiaram de programas eficazes de aulas de reforço nas escolas. Outro exemplo são os pesados ​​subsídios para cuidados de saúde preventivos que foram introduzidos em muitos países", afirmou o comitê do Nobel, destacando ainda que as pesquisas "têm um grande potencial para melhorar ainda mais a vida das pessoas em pior situação do mundo". Os pesquisadores mostraram, por exemplo, em seus experimentos que as pessoas mais pobres são extremamente sensíveis a preços e gratuidade nos cuidados de saúde preventivos. Em outra pesquisa, mostraram que as taxas de vacinação triplicaram nas aldeias que foram selecionados aleatoriamente para ter acesso a clínicas móveis. Outro trabalho do trio mostrou que mais livros didáticos e refeições escolares gratuitas tiveram pequenos efeitos, enquanto a ajuda direcionada para alunos fracos melhorou significativamente os resultados educacionais, comprovando que ajuda direcionada aos alunos mais fracos é uma medida eficaz. "Os laureados mostraram como o problema da pobreza global pode ser resolvido dividindo-o em uma série de perguntas menores – mas mais precisas – nos níveis individual ou de grupo. Eles então respondem cada uma delas usando um experimento de campo especialmente projetado. Em apenas 20 anos, essa abordagem reformulou completamente a pesquisa no campo conhecido como economia do desenvolvimento", explicou o comitê do Nobel. Abhijit Banerjee, Esther Duflo e Michael Kremer ganham Nobel de Economia 2019 Twitter/The Nobel Prize Pobreza no mundo "Apesar das recentes melhorias dramáticas, uma das questões mais urgentes da humanidade é a redução da pobreza global, em todas as suas formas", afirmou o comitê do Nobel em comunicado, lembrando que mais de 700 milhões de pessoas ainda vivem com rendimentos extremamente baixos. "Todos os anos, cerca de 5 milhões de crianças com menos de cinco anos ainda morrem de doenças que muitas vezes poderiam ter sido prevenidas ou curadas com tratamentos baratos. Metade das crianças do mundo ainda saem da escola sem habilidades básicas de alfabetização e aritmética", destacou. Quem são os premiados Abhijit Banerjee Nasceu em 1961 em Mumbai, na Índia. Em 1988, ele conseguiu o título de Ph.D. pela Universidade de Harvard, em Cambridge, nos Estados Unidos. Ele é professor de Economia da Ford Foundation no Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos EUA. Esther Duflo Nasceu em 1972 em Paris, na França. Ela obteve o título de Ph.D. em 1999 do Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos EUA. É a segunda mulher e a pessoa mais jovem a receber o Nobel de Economia. Nos últimos anos, firmou-se como uma duas economistas mais brilhantes de sua geração, ganhando prêmios como a medalha John Bates Clark em 2010, que recompensa os trabalhos de economistas nos Estados Unidos com menos de 40 anos. Selfie enviada ao Nobel por Esther Duflo, a segunda mulher e a pessoa mais jovem a receber o Nobel de Economia. Twitter/The Nobel Prize Michael Kremer Nasceu nos EUA, em 1964. Obteve o título de Ph.D em 1992 na Universidade de Harvard, nos EUA. É professor de Sociedades em Desenvolvimento na Universidade de Harvard, nos EUA. Cerimônia de entrega será em dezembro Os 3 economistas compartilharão o prêmio de 9 milhões de coroas suecas, ou US$ 1 milhão (R$ 3,85 milhões). A cerimônia de entrega do Nobel acontecerá em 10 de dezembro, data de aniversário da morte de seu idealizador, o industrial e filantropo sueco Alfred Nobel (1833-1896). O prêmio de Economia, oficialmente chamado de "Prêmio do Banco da Suécia em Ciências Econômicas em memória de Alfred Nobel", foi criado em 1968. A homenagem não fazia parte do grupo original de cinco prêmios estabelecidos pelo testamento do industrialista sueco Alfred Nobel, criador da dinamite. Os outros prêmios Nobel (Medicina, Física, Química, Literatura e Paz) foram entregues pela primeira vez em 1901. O Nobel de Economia é o último concedido este ano. Os prêmios de Medicina, Física, Química, Literatura e Paz foram anunciados na semana passada. Vencedores do Nobel de 2019 Paz: Abiy Ahmed Ali, primeiro-ministro da Etiópia, foi premiado por sua iniciativa decisiva para resolver o conflito de fronteira com a vizinha Eritreia, no leste da África Literatura: Olga Tokarczuk ganhou o prêmio referente ao ano de 2018, quando a academia cancelou a premiação após um escândalo sexual. Já Peter Handke levou o deste ano. Química: John B. Goodenough, M. Stanley Whittingham e Akira Yoshino foram premiados pelo desenvolvimento de baterias de íons de lítio, usadas em celulares e carros elétricos. Física: James Peebles, suíços Michel Mayor e Didier Queloz foram premiados por suas contribuições para a compreensão do universo e pela descoberta do primeiro planeta fora do Sistema Solar que orbita uma estrela semelhante ao Sol. Medicina: William Kaelin, Gregg Semenza e Sir Peter Ratcliffe ganharam o prêmio pelo estudo sobre como as células detectam e se adaptam à disponibilidade de oxigênio. Últimos ganhadores do Nobel de Economia 2018: William D. Nordhaus e Paul M. Romer (EUA), por seus estudos sobre economia sustentável e crescimento econômico a longo prazo. 2017: Richard Thaler (Estados Unidos), por sua pesquisa sobre as consequências dos mecanismos psicológicos e sociais nas decisões dos consumidores e dos investidores. 2016: Oliver Hart (Reino Unido/Estados Unidos) e Bengt Holmström (Finlândia), por suas contribuições à teoria dos contratos. 2015: Angus Deaton (Reino Unido/Estados Unidos) por seus estudos sobre "o consumo, a pobreza e o bem-estar". 2014: Jean Tirole (França), por sua "análise do poder do mercado e de sua regulação". 2013: Eugene Fama, Lars Peter Hansen e Robert Shiller (Estados Unidos), por seus trabalhos sobre os mercados financeiros. 2012: Lloyd Shapley e Alvin Roth (Estados Unidos), por seus trabalhos sobre a melhor maneira de adequar a oferta e a demanda em um mercado, com aplicações nas doações de órgãos e na educação. 2011: Thomas Sargent e Christopher Sims (Estados Unidos), por trabalhos que permitem entender como acontecimentos imprevistos ou políticas programadas influenciam os indicadores macroeconômicos. 2010: Peter Diamond, Dale Mortensen (Estados Unidos) e Christopher Pissarides (Chipre/Reino Unido), um trio que melhorou a análise dos mercados nos quais a oferta e a demanda têm dificuldades para se acoplar, especialmente no mercado de trabalho. 2009: Elinor Ostrom e Oliver Williamson (Estados Unidos), por seus trabalhos separados que mostram que a empresa e as associações de usuários são às vezes mais eficazes que o mercado. 2008: Paul Krugman (Estados Unidos), por seus trabalhos sobre o comércio internacional.
Veja Mais

14/10 - País tem 180 concursos abertos para preencher 20,5 mil vagas
Há oportunidades para todos os níveis de escolaridade. Pelo menos 180 órgãos de todo o país estão com inscrições abertas para preencher quase 20,5 mil vagas em concursos públicos. Há oportunidades para todos os níveis de escolaridade. Nesta segunda-feira (14), dez concursos abriram inscrições. CONFIRA A LISTA COMPLETA DE CONCURSOS E OPORTUNIDADES Há oportunidades para todos os níveis de escolaridade Editoria de arte/G1 Veja abaixo os concursos que com inscrições abertas: Departamento Municipal de Água e Esgoto de Poços de Caldas Inscrições até: 14/11/2019 Vagas: 17 Salário máximo: R$ 3.622,66 Escolaridade: fundamental, médio e superior Estado: Minas Gerais Veja o edital Prefeitura de Betim Inscrições até: 13/11/2019 Vagas: 278 Salário máximo: R$ 4.952,00 Escolaridade: médio e superior Estado: Minas Gerais Veja o edital Prefeitura de Santa Bárbara do Leste Inscrições até: 29/10/2019 Vagas: 21 Salário máximo: R$ 1.250,00 Escolaridade: médio e técnico Estado: Minas Gerais Veja o edital Prefeitura de São José da Varginha Inscrições até: 24/10/2019 Vagas: 29 Salário máximo: R$ 3.146,44 Escolaridade: médio e superior Estado: Minas Gerais Veja o edital Prefeitura Municipal de Naque Inscrições até: 01/11/2019 Vagas: 16 Salário máximo: R$ 1.250,00 Escolaridade: médio Estado: Minas Gerais Veja o edital Instituto de Educação Superior Presidente Kennedy Inscrições até: 14/11/2019 Vagas: 13 Escolaridade: superior Estado: Rio Grande do Norte Veja o edital Câmara Municipal de Mirante do Paranapanema Inscrições até: 27/10/2019 Vagas: 3 Salário máximo: R$ 4.500,00 Escolaridade: médio e superior Estado: São Paulo Veja o edital Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa Inscrições até: 13/11/2019 Vagas: 600 Salário máximo: R$ 3.993,82 Escolaridade: superior Estado: Santa Catarina Veja o edital Prefeitura Municipal de Fernando Falcão Inscrições até: 04/11/2019 Vagas: 94 Salário máximo: R$ 3.000,00 Escolaridade: fundamental, médio e superior Estado: Maranhão Veja o edital Prefeitura Municipal de São Felipe D'Oeste Inscrições até: 17/11/2019 Vagas: 23 Salário máximo: R$ 4.857,59 Escolaridade: médio e superior Estado: Rondônia Veja o edital
Veja Mais

13/10 - Veja concursos e seleções com editais publicados na Paraíba de 13 a 20 de outubro
São três editais com 205 vagas. Pelo menos 205 vagas são oferecidas em quatro editais de concursos e seleções publicados na Paraíba nesta semana de 13 a 20 de outubro. Concursos e seleções na Paraíba têm 977 vagas Divulgação/Agência Brasil Seleção da UPA Santa Rita Vagas: 78 Níveis: fundamental, médio, técnico e superior Salários: R$ 998 a R$ 2.190 Prazo de inscrição: até este domingo (13) - encerradas Local de inscrição: site da organizadora, Instituto Acqua Edital da seleção da UPA Santa Rita Seleção da Prefeitura de Riacho dos Cavalos Vagas: 65 Níveis: fundamental, médio e superior Salários: R$ 998 a R$ 13,3 mil Prazo de inscrição: até domingo (20) - prorrogadas Local de inscrição: site da organizadora, Ápice Consultoria Taxas de inscrição: R$ 60 (fundamental), R$ 70 (médio/técnico) e R$ 80 (superior) Provas: 26 de novembro Edital da seleção da Prefeitura de Riacho dos Cavalos Seleção do IBGE para o Censo 2020 Vagas: 2.658, sendo 63 na Paraíba Nível: médio Remuneração: R$ 1,7 mil a R$ 3,1 mil Prazo de inscrição: até terça-feira (15) Local de inscrição: site da organizadora, FGV Taxa de inscrição: R$ 42,50 e R$ 58 Provas: 8 de dezembro Edital de seleção do IBGE para o Censo 2020 Concurso da Prefeitura de Serraria Vagas: 77 Níveis: fundamental, médio e superior Salários: R$ 998 a R$ 3.339 Prazo de inscrição: até 31 de outubro Local de inscrição: site da organizadora, Contemax Consultoria Taxas de inscrição: R$ 40 (fundamental), R$ 45 (médio e técnico) e R$ 50 (superior) Provas: 8 de dezembro Edital do concurso da Prefeitura de Serraria
Veja Mais

13/10 - Por que celular com câmera de mais megapixels não significa fotos melhores
Celulares com quantidades enormes de megapixels realmente fazem fotos melhores? Ou isso é mais uma questão de marketing? Novo iPhone 11 Pro tem 3 câmeras traseiras Stephen Lam/Reuters Sempre que a Apple, Samsung ou qualquer outra grande marca lança um novo telefone celular, os usuários olham para a tela, para a bateria e principalmente para a câmera. O modelo mais recente do iPhone, o 11, carrega uma lente de 12 megapixels. Já o Samsung Galaxy Note 10 inclui uma de 16. Por outro lado, a versão Mate 30 da Huawei possui um sistema de câmera tripla, composto por um sensor de 40 megapixels, uma grande angular ultra ampla de 16 megapixels e uma lente objetiva de oito megapixels. Linha de aparelhos Mate 30 conta com configuração potente de câmeras, feita em parceria com a Leica Divulgação/Huawei Parece incrível, não? Mas o que isso significa na prática? A verdade é que a crença de que mais megapixels nos proporcionam uma foto de qualidade superior é falsa. Muitos consumidores são guiados pela quantidade, porque, no final das contas, cinco megapixels não soam tão bem quanto oito, mesmo que a câmera produza excelentes fotos. E, na mesma lógica, se oito é bom, 12 tem de ser ainda melhor. Porém, de acordo com especialistas, a qualidade das imagens não funciona segundo essa lógica. O "segredo desagradável" por trás dessa forma de classificar a câmera de um celular "é que [se basear] apenas [n]o número de megapixels é uma maneira ruim de prever o desempenho fotográfico", diz a revista americana Scientific American. Para entender isso, devemos ter em mente que o número de megapixels se refere à resolução da câmera. A resolução afeta o tamanho da imagem e não a qualidade. Esses números nos dão uma ideia de quanto podemos ampliar uma imagem sem perder a nitidez. Ou seja, se você deseja imprimir sua foto em tamanho A4, não importa qual celular você escolhe. Se sua intenção é imprimi-la em um formato grande, como um A2, então é melhor considerar o número de megapixels. Por outro lado, a maioria das fotos tiradas com telefones celulares acaba publicada nas redes sociais, compartilhada pelo WhatsApp ou enviada para um site, que precisa de fotos leves para carregar bem. O tamanho importa Para Sergio Barbero Briones, pesquisador do Instituto de Óptica do Conselho Superior de Pesquisa Científica da Espanha, o que importa é o tamanho dos pixels e não a quantidade deles. E esse tamanho é determinado pelo sensor que coleta a luz. "Sem luz, não há foto", dizem fotógrafos experientes. "Quanto menor o pixel, melhor", diz Barbero. E se não fosse pelo fato de que as leis da física têm muito a dizer sobre a aparência da sua foto final, "poderíamos alcançar uma resolução infinita", afirma o pesquisador. Mas isso não é possível porque sempre teremos o que é conhecido como "ponto de difração", derivado da natureza das ondas da luz. É esse o fenômeno que coloca limitações técnicas na resolução. "O tamanho do sensor de imagem é importante e, em geral, quanto maior o sensor, maiores seus pixels. E quanto maiores os pixels, mais luz ele pode coletar", resume a Scientific American. "Quanto mais luz você pode capturar, melhor a imagem", diz ele. Normalmente, o fabricante do telefone celular especifica o tamanho do sensor da câmera. Mas eles costumam fazer isso com uma figura intuitiva para os consumidores médios. Te diz alguma coisa saber que o sensor do iPhone 8 é 1/3 ou que, no Samsung Galaxy S9, ele é de 1/2,6? Na verdade, esses números são uma divisão, mas o que você precisa saber é que quanto menor o divisor (3 ou 2,6), maior e melhor é o sensor. No caso acima, o sensor da Samsung é um pouco melhor que o da Apple. Portanto, da próxima vez que você quiser saber o quão boa é a câmera do celular, não se deixe guiar apenas pelo marketing.
Veja Mais

13/10 - Como identificar o erro que provoca a 'Tela da Morte' no Windows?
Blog tira dúvidas também sobre como simplificar o download de fotos armazenadas no iCloud e sobre como excluir informações sincronizadas no Google Chrome. (Se você tem alguma dúvida sobre tecnologia, utilize o espaço para comentários abaixo e escreva sua pergunta) Windows 10 conta com elaboração de relatório de erros. Shannon Stapleton / Reuters "Tela da Morte" no Windows Olá, Ronaldo! Você teria alguma dica para corrigir o erro que provoca a "Tela da Morte" no Windows? – Aderaldo Silva Olá, Aderaldo! O travamento do Windows que provoca o desligamento inesperado do PC, pode ter várias origens e soluções. Cada erro é apresentado na tela com um dos seguintes códigos: CRITICAL_PROCESS_DIED; SYSTEM_THREAD_EXCEPTION_NOT_HANDLED; IRQL_NOT_LESS_OR_EQUAL; VIDEO_TDR_TIMEOUT_DETECTED; PAGE_FAULT_IN_NONPAGED_AREA; SYSTEM_SERVICE_EXCEPTION; DPC_WATCHDOG_VIOLATION; Os códigos também pode ser exibidos em formato hexadecimal, como 0x0000000A, 0x0000003B, 0x000000EF, 0x00000133, 0x000000D1, 0x1000007E, 0xC000021A, 0x0000007B, 0xC000000F, entre outros. É possível usar um programa chamado WhoCrashed para fazer um diagnóstico completo e, ao término da varredura, obter um relatório contendo todos os erros encontrados. As informações apresentadas no relatório, como a origem do problema, vão servir de referência para avaliar qual é a correção mais apropriada. Se você estiver usando o Windows 10, a solução é ainda mais simples. A Microsoft liberou recentemente uma atualização com uma funcionalidade que resolve problemas do sistema. Por esse motivo a primeira medida a ser tomada será instalar todas as atualizações pendentes. Download de fotos no iCloud Oi, Ronaldo! Eu possuo milhares de fotos armazenadas no iCloud e gostaria de baixá-las no PC. Tentei usar o programa da Apple, mas o processo se sincronização falhou. Então repeti o processo acessando a página do iCloud, mas o arquivo baixado vem corrompido. Existe alguma maneira de simplificar o download de fotos armazenadas no iCloud? – Thaís Olá, Thaís! A sincronia de dados usando entre o iTunes e o iCloud funcionam, mas alguns usuários não se adaptam muito bem com o procedimento ou acham que ele demora muito. É possível recorrer a programas desenvolvidos por terceiros para realizar essa tarefa. A vantagem de usar um programa que não tenha sido desenvolvido pela Apple é conseguir uma interface simplificada durante o processo de importação dos arquivos. Você pode testar a importação das fotos do iCloud usando um programa chamado Aiseesoft FoneLab, disponível para download aqui. O programa oferece recursos para recuperação de fotos do iOS, backup do iTunes e backup do iCloud. Para usar o Aiseesoft FoneLab, siga os seguintes passos: Conecte o iPhone através do cabo USB e execute o programa; Selecione o aparelho como fonte de dados; Informe as credenciais de acesso do iCloud; Marque as extensões dos arquivos que serão salvos no PC e clique em avançar. Será possível pré-visualizar o conteúdo encontrado pelo programa, no entanto o processo de restauração só será concluído se for adquirida a licença de uso do programa. Informações sincronizadas no Google Chrome Oi, Ronaldo! Como eu faço para impedir que as informações no Google Chrome do meu computador pessoal sejam sincronizadas com o computador do trabalho? — Leandro Olá, Leandro! Para impedir que o Google Chrome faça isso, siga os passos descritos abaixo: Clique no atalho em forma de "três pontinhos" ou, se preferir, copie o link "chrome://settings" para acessar as configurações do navegador; Na parte superior da tela, em "Pessoas", clique em Desativar; Clique em sair, para desconectar a sua conta no Google Chrome. Pronto, os dados pessoais não serão mais sincronizados. Selo Ronaldo Prass Ilustração: G1
Veja Mais

13/10 - PAT de Americana tem 71 vagas de emprego abertas; veja a lista
Interessados devem fazer o cadastro pelo site da prefeitura. Profissionais podem buscar emprego no PAT de Americana. Mauricio Vieira/Secom/Divulgação O Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) de Americana (SP) tem 71 vagas de emprego disponíveis nesta segunda-feira (14). As oportunidades são para diversas áreas e incluem cargos para pessoa com deficiência (PCD). Confira a lista completa abaixo. Os interessados devem se candidatar pelo site da Prefeitura, com o cadastramento do currículo. O PAT fica localizado na Rua Anhanguera, número 16, no Centro cidade O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. Veja as vagas disponíveis e os requisitos Ajudante de sistema de cronometragem - 1 vaga (necessário possuir moto) Ajudante de jardinagem - 2 vagas Analista de PCP - 1 vaga Auxiliar de confecção/passadoria industrial - 1 vaga Auxiliar de expedição - 1 vaga Chefe de turno - 1 vaga (necessário ensino superior na área têxtil) Consultor (a) comercial - 1 vaga (necessário ensino superior em logística, gestão comercial ou administração) Contramestre de Picanol Omni, ar e pinça - 1 vaga Costureira (o) de máquina reta, overloque e fechadeira - 3 vagas Costureira (o) de uniformes - 5 vagas (necessário ter experiência em máquina fechadeira de braço) Costureira (o) piloteira - 1 vaga Cozinheiro (a) - 2 vagas Cozinheiro (a) industrial - 1 vaga Eletricista industrial - 1 vaga Engrupador (a) de máquina Titan modelo 2000 - 1 vaga Engrupador (a) de tear Leonardo Vamatex - 1 vaga Engrupador (a) de teares Jacquard e Ratier - 1 vaga Estagiário (a) administrativo - 1 vaga Faturista - 1 vaga Faxineiro (a) - 1 vaga Instalador (a) de internet, TV a cabo e telefonia - 5 vagas Mecânico (a) de manutenção - 1 vaga (necessário curso de mecânica diesel) Oficial de cozinha - 2 vagas Monitor (a) de vídeos - 5 vagas Montador (a) de estruturas metálicas - 1 vaga Motorista carreteiro - 2 vagas Motorista carreteiro - 1 vaga Motorista carreteiro de veículos articulado, bitrem e rodotrem - 1 vaga Motorista carreteiro - 1 vaga (necessário curso de operador de guindaste) Operador (a) de produção - 10 vagas Operador (a) de torno/máquinas C - 1 vaga Revisor (a) tinto e cru - 1 vaga Separador (a) de materiais recicláveis - 1 vaga Soldador (a) - 1 vaga Técnico (a) em inspeção industrial - 1 vaga Técnico (a) em manutenção de plataformas aéreas - 1 vaga Técnico (a) em mecânica industrial - 1 vaga Vendedor (a) interno (a) - 1 vaga Vigia - 5 vagas Faxineiro (a) - 1 vaga (exclusiva para PCD) Veja mais vagas de emprego na região no G1 Campinas
Veja Mais